'Ele era muito inteligente', diz tia de menino morto em assalto

Familiares afirmam que a mãe de Lucas, de 7 anos, pediu para policial não revidar tiros dos bandidos, em shopping de Itaguaí

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

“Ele era um menino muito inteligente, esperto e alegre. Não ficava parado, estava sempre pra lá e pra cá”. Foi assim que Joseli Ouverney descreveu o sobrinho Lucas Ouverney Machado, de sete anos, morto na noite de quinta-feira (10) durante uma tentativa de assalto a uma joalheria de um shopping no município de Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Irmã do pai de Lucas, o pedreiro Isaías Ouverney, de 37 anos, que está internado após ser atingido por um tiro no abdômen, ela disse que o sobrinho tinha passado o dia inteiro brincando na piscina da casa do avô antes de ir ao shopping com os pais.

“Ele não queria ir embora, mas o Isaías disse que tinha que pagar algumas contas naquele dia, porque nos outros estaria muito ocupado”, explicou Vânia Ouverney, outra tia de Lucas. “Eles tinham acabado de chegar ao shopping quando começou o tiroteio”, contou.

Futura Press
Viatura da polícia em frente ao shopping onde houve a tentativa de assalto
Mãe pediu para segurança não atirar

De acordo com os familiares, desesperada, a mãe de Lucas, Márcia Ouverney, se jogou no chão do centro comercial e teria pedido ao policial militar que revidou os disparos dos bandidos para não atirar. Ele teria dito que estava preparado para aquilo.

Ao ver o filho ser baleado, Isaías se jogou em cima de Lucas e foi atingido no abdômen. O vigia da joalheria que participou do confronto se jogou em cima dos dois para protegê-los e acabou sendo baleado na cabeça e morreu.

“O Lucas estava ansioso pela volta às aulas, na próxima segunda-feira. O material já estava todo comprado”, disse Vânia. “Ele era a paixão dos pais, por ser filho único. A mãe não pode engravidar novamente porque teve complicações no parto do Lucas”.

Isaías só ficou sabendo nesta sexta-feira (11) da morte do filho. A direção do Hospital São Francisco Xavier, no centro de Itaguaí, onde ele está internado optou por deixar a operação passar para então contar o triste ocorrido. “Ele me perguntou se eu já sabia da morte do meu sobrinho e questionou como vai ser a vida dele agora sem o filho”, contou Joseli.

Enterro programado para este sábado

Após ser atingido, Lucas ainda foi encaminhado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio de Janeiro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O menino levou três tiros, sendo um no pé, outro no cotovelo e um na virilha. O enterro está previsto para acontecer na manhã deste sábado (12), no bairro de Santa Cruz, na zona oeste da capital fluminense. 

    Leia tudo sobre: assaltojoalheriameninosegurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG