Polícia procurou o ex-jogador em cinco endereços e não o encontrou. Defesa ainda não entrou com habeas corpus

Edmundo teve prisão decretada no início desta semana pela Justiça do Rio
Vivian Fernandez
Edmundo teve prisão decretada no início desta semana pela Justiça do Rio
O ex-jogador Edmundo já é considerado foragido da Justiça. Equipes da Polícia Civil fluminense estiveram nesta quarta-feira (15) em cinco endereços do ex-atleta no Rio de Janeiro e não o encontraram. Em um deles, estava a mulher dele.

O juiz Carlos Eduardo Figueiredo, da VEP (Vara de Execuções Penais) do Tribunal de Justiça, expediu na última segunda-feira (13) mandado de prisão contra o ex-jogador por conta do processo em que Edmundo foi condenado em 1999 a quatro anos e seis meses de prisão por ter provocado um acidente com três mortes em 1995.

Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Rio, os advogados de Edmundo ainda não impetraram habeas corpus. Após receber o recurso, o desembargador responsável terá um prazo de até 30 dias para julgá-lo.

Acidente

Edmundo foi acusado de provocar o acidente que matou Joana Maria Martins Couto, que estava no carro dirigido pelo então jogador do Flamengo, e Carlos Frederico Britis Tinoco e Alessandra Cristini Pericier Perrota, que estavam no outro veículo envolvido na batida. O fato ocorreu na Lagoa, na zona sul.

O ex-jogador acabou condenado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal culposa contra outras três pessoas que ficaram feridas.

O juiz da VEP determinou a sua prisão porque não aceitou o pedido de prescrição feito pela defesa do ex-craque. O magistrado alegou que ainda não ocorreu o lapso temporal exigido pela lei para prescrever a condenação, que no caso do ex-jogador é de 12 anos.

O advogado de Edmundo, Artur Lavigne, disse ontem ao iG que o Ministério Público reconheceu a prescrição do crime em 2010. .

"O Ministério Público reconheceu a prescrição em 2010, isso está há quase um ano na vara de execuções. Então recebi o fato com surpresa. Não recebi nenhuma notificação, não saiu publicado qual é a fundamentação”, disse

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.