É grave o estado de saúde de mulher baleada em sequestro de ônibus

Lisa pegava coletivo somente às terças-feiras para voltar de curso. "Ela perdeu muito sangue", diz filha de vítima

Beatriz Merched, iG Rio de Janeiro |

Luiz Gomes/Futura Press
Policiais montaram bloqueio para parar ônibus sequestrado no centro do Rio
É grave o estado de saúde de uma das vítimas baleadas durante o sequestro de um ônibus , na noite de terça-feira (9), no centro do Rio de Janeiro. Lisa Mônica Pereira, de 46 anos, foi atingida no tórax, tem fratura de costela e de clavícula e contusão pulmonar. Ela está internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Municipal Souza Aguiar.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Hans Dohman, Lisa é "motivo de grande preocupação e continuará no CTI por mais alguns dias". "A sedação foi diminuída de ontem para hoje, mas ela perdeu quantidade considerável de sangue”, afirmou.

Parentes da vítima relataram à polícia que ela só pegava a linha do ônibus sequestrado, da Viação Jurema, às terças-feiras. Nesses dias, Lisa estuda em um curso em Copacabana, na zona sul do Rio. A vítima utilizava o coletivo para voltar para sua casa, no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Filha de Lisa, Tammy Pereira, 27, chegou ao hospital na noite desta terça-feira (9). "Minha mãe me viu, mas não me reconheceu. Hoje não consegui vê-la. O que a gente pede agora é doação de sangue tipo A negativo, que o hospital não tem. Ela perdeu muito sangue", disse Tammy.

Agência O Globo
Mulher ferida é resgatada após sequestro de ônibus no centro do Rio
Outras quatro pessoas ficaram feridas no sequestro do ônibus. Josuel dos Santos Messias, de 46, foi baleado na perna, de raspão, e liberado na manhã desta quarta-feira (10). Fabiana Gomes da Silva, de 30 anos, levou um tiro na coxa esquerda, e Alcir Pereira de Carvalho, 56, foi baleado no pescoço. Os dois estão internados no Souza Aguiar, com quadro estável.

Alcir estava no banco do carona de um carro que passava pelo local durante uma troca de tiros. O projétil não atingiu nenhum órgão vital. A quarta vítima do sequestro foi um policial militar, baleado na perna. Agentes o encaminharam para o hospital da corporação e, segundo a unidade, seu quadro também é estável.

Sequestro

Passageiros relataram à polícia que quatro assaltantes armados invadiram por volta das 20h de terça-feira (9) o ônibus da Viação Jurema que seguia para o município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A ocorrência teve início na Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio, na pista lateral sentido zona norte, próximo à Universidade Estácio de Sá.

Desconfiado com a presença dos assaltantes, o motorista teria parado o coletivo e descido dele para acionar policiais militares que estavam em frente à universidade. Ao entrarem no ônibus, os agentes acabaram sendo rendidos pelos criminosos e deixaram o coletivo para solicitar reforço.

Sem motorista no ônibus, um dos passageiros foi obrigado pelos assaltantes a conduzir o coletivo. Durante a ocorrência, dois dos quatro criminosos fugiram do veículo e renderam o motorista de um Zafira, que passava pela região. A bordo do automóvel, eles seguiram para o complexo de favelas de Manguinhos, na zona norte.

No centro do Rio, a polícia montou bloqueios para evitar a fuga do ônibus, mas o coletivo continuou seguindo viagem. O veículo só parou após ter os pneus baleados. Soldados do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foram acionados para negociar com os bandidos.

Flavia Salme / iG
Pneus do ônibus ficaram furados após disparos feitos pelos policiais

Durante a negociação, o passageiro Hélio Gomes da Motta Júnior, de 30 anos, que conduzia o ônibus, conseguiu se salvar pulando da janela do coletivo . "Os bandidos disseram que queriam que os levassem até a avenida Brasil. Pensei que se fizesse isso iria me salvar e também os outros passageiros já que havia uma mulher ferida", disse ao iG.

Às 21h40, a Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que o sequestro tinha terminado com a prisão de dois bandidos e a apreensão de duas pistolas e uma granada. "O desfecho do caso foi o possível dentro das circunstâncias. O objetivo era prender os suspeitos sem vítimas, mas a polícia fez o que pode. O resultado foi excelente", disse o comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte.

Prisões

Os dois bandidos presos no centro do Rio após se renderem foram identificados como Bruno Silva Lima, de 19 anos, e Renato da Costa Júnior, de 21. Um deles possui anotações em sua ficha criminal e, o outro, um mandado de busca e apreensão contra ele.

Flavia Salme / iG
Dois assaltantes presos após se renderem são apresentados pela Polícia Civil
Durante a madrugada desta quarta-feira (10), um dos assaltantes que tinha fugido do ônibus foi preso em um hospital em Copacabana , na zona sul do Rio. Após saltar no complexo de favelas de Manguinhos, ele seguiu para o Hospital São Lucas para pedir ajuda, pois estava baleado na perna.

Os funcionários da unidade suspeitaram do paciente e acionaram a polícia, que acabou identificando Jean Júnior da Costa Oliveira, de 21 anos. O quarto assaltante que também seguiu para Manguinhos ainda não foi localizado. O grupo vai responder por roubo triplamente qualificado, formação de quadrilha e receptação, visto que uma das armas apreendidas teria sido roubada e estava com a numeração raspada.  

*com informações de Flávia Salme, Anderson Ramos e Ana Cora Lima

Assista ao vídeo sobre o sequestro do ônibus: 

Caso não consiga ver este vídeo, clique no link abaixo para assistir na TV iG:

Sequestro de ônibus termina após uma hora de negociação

    Leia tudo sobre: sequestro de ônibusrefénsassaltoônibus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG