"Duas casas serão reconstruídas", diz neto de Tom Jobim

Sítio onde o compositor escreveu Águas de Março foi parcialmente destruído pelas fortes chuvas

iG São Paulo |

A casa onde o compositor Tom Jobim escreveu uma de suas mais famosas músicas, Águas de Março, localizada perto do município de São José do Vale do Rio Preto,  na região serrana do Rio, foi destruída pelo rio formado pelas intensas chuvas .

No momento da chuva forte, Daniel Jobim, neto do compositor, estava no sítio da família. "Quando tudo aconteceu, já estávamos preparados e ficamos em alerta e, felizmente, apenas duas casas precisarão ser reconstruídas", diz.

Arquivo pessoal
Sítio de Tom Jobim foi destruído

Paulo Jobim, filho do compositor e pai de Daniel, conta que foi de uma das casas destruídas, que ficava na beira do rio, que saíram os versos "É pau, é pedra, é o fim do caminho".

Arquivo pessoal
Mais uma casa no sítio do compositor

Por possuir uma das mais belas paisagens da região, o Vale do Cuiabá, em Itaipava, abriga hotéis e pousadas de alto padrão. A pousada Tambo Los Incas, uma das principais da região, foi tomada pela enxurrada. Na página da pousada na internet, os donos publicaram um comunicado informando que não terão condições de atender hóspedes e clientes por um longo período.

Uma tragédia aconteceu na mansão de Ângela Gouvêa Vieira, cunhada de Eduardo Eugênio Gouvêa, presidente da Firjan (Federação de indústrias do Rio de Janeiro). A casa havia sido alugada pela família do economista Erik Conolly de Carvalho , executivo da holding do Grupo Icatu. No momento da destruição, o executivo não estava na casa, mas perdeu três filhos, os pais, a irmã, o cunhado e o sobrinho.


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG