Dois vereadores e quinze PMs são presos em operação policial

Operação visa desarticular milícia no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense

Daniel Gonçalves, especial para o iG |

Vinte e cinco pessoas foram presas nesta terça-feira (21), entre elas dois vereadores e 15 policiias militares, apontadas por participar de um grupo de milicianos que atuava na Baixada Fluminense. Outras nove ainda estão sendo procuradas. Os outros detidos são pessoas que atuavam na milícia.

Cerca de 200 agentes participam da operação que é comandada pela Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas).

Desde o início da manhã de hoje, foram cumpridos 51 mandados de busca e apreensão, inclusive em gabinetes dos vereadores envolvidos da Câmara municipal de Caxias. Os vereadores presos foram identificados como Jonas Gonçalves da Silva, conhecido como Jonas É Nós, e Sebastião Fereira da Silva, o Chiquinho Grandão. Eles seriam os líderes da milícia.

De acordo com o Ministério Público (MP) Estadual do Rio de Janeiro, essa milícia é apontada pelo MP como a mais forte do município de Duque de Caxias, na Baixada. A quadrilha é suspeita de explorar sinais de TV a cabo e cobrar taxas de moradores da região, além de diversos assassinatos. As investigações duraram seis meses.

O desembargador Marcus Quaresma Ferraz, relator do processo na Seção Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, suspendeu as funções dos denunciados. As Corregedorias da Polícia Civil, do Exército e da Marinha instauraram sindicâncias internas, assim como o Comando-Geral da PM, para apurar o caso.

Participam da operação denominada Capa Preta agentes de várias delegacias especializadas, do Exército, do Corpo de Fuzileiros Navais, das Corregedorias Internas das Polícias Civil e Militar, além da Corregedoria Geral Unificada.

    Leia tudo sobre: Milíciacrime organizadoviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG