Disque-denúncia recebe quatro ligações sobre falso médico

Ele é acusado de liberar criança que agora está em coma; polícia também investiga possibilidade de maus-tratos

iG Rio de Janeiro |

O Disque-Denúncia informou que recebeu nesta terça-feira (10) quatro ligações sobre o paradeiro do falso médico apontado por atender e liberar uma menina de cinco anos que agora está em coma.

A menina está internada desde o dia 19 de julho e a mãe acusa o pai de maus-tratos. A criança fora entregue ao pai, André Martins, pela mãe, Cristiane Ferraz, após uma disputa na Justiça pela guarda.

Por determinação judicial a criança deveria permanecer 90 dias com Martins, pois teria sido vítima de alienação parental – quando um dos genitores difama o outro para romper laços emocionais após uma separação.

Divulgação
Polícia divulgou nesta segunda-feira (9) a foto do falso médico que liberou uma criança que agora está em coma
Martins nega as acusações. De acordo com ele, a filha teve convulsões e foi levada ao Hospital RioMar, onde fora liberada desacordada pelo falso médico.

No mesmo dia, como não recobrava mais a consciência, o pai decidiu levá-la para outro hospital da zona oeste, de onde foi transferida para o Amiu, em Botafogo, zona sul do Rio.

A criança permanece internada em coma com várias marcas de hematomas, e sinais que aparentemente são de queimaduras de cigarro.

Desde os inícios das investigações, a direção do Hospital RioMar afirmou que falso pediatra não apareceu mais para trabalhar.

Nesta segunda-feira (9) a polícia divulgou uma foto feita a partir do circuito interno de câmeras do hospital nas quais o falso médico aparece, andando de jaleco branco pelo corredor da unidade de emergência.

O titular da DCAV (Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima), Luiz Henrique Marques Pereira, localizou o médico cujo nome e registro profissional aparecem no prontuário de atendimento do Hospital Riomar. No entanto, ele provou que nunca trabalhou neste hospital.

O delegado também investiga a possibilidade da criança ter sofrido maus-tratos.

A polícia faz um apelo para quem tiver informações sobre o caso ligue para o Disque-Denúncia, no telefone (21) 2253-1177, ou para a DCAV, nos números (21) 2253-1177 e (21) 2333-4118.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG