Dez alunos permanecem internados depois de ataque à escola

Secretaria de Saúde do Rio informa que dois deles permanecem em estado grave

Priscila Bessa e Luisa Girão, iG Rio de Janeiro |

A Secretaria Estadual de Saúde divulgou, neste domingo (10), um novo balanço sobre o estado de saúde das crianças feridas pelo atirador Wellington de Oliveira . Na ação, 12 crianças morreram e 12 ficaram feridas. O atirador se matou após ser baleado por um policial militar. Ao todo, dez crianças continuam internadas em diferentes hospitais do Rio de Janeiro e duas continuam em estado grave.

Um deles é o adolescente Luan Santos, de 13 anos, que foi baleado no olho direito e está internado no CTI pediátrico do Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele continua sedado e respira com ajuda de aparelhos, mas está estável dentro do seu quadro de gravidade. De acordo com Deda Pereira, tia do menino, a família está animada com a recuperação. “Pela primeira vez, ele abriu os olhos e conseguiu mexer os pés”, disse.

No Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, na zona oeste, um aluno de 14 anos, que foi baleado no abdôme e mão, também está em estado grave. No entanto, apresenta melhora clínica e encontra-se em estado despertável (acorda quando é chamado).

Na mesma unidade, uma menina também de 14 anos, que sofreu uma fratura no antebraço, está estável, sem previsão de alta. Ainda encontra-se, nesse hospital, um garoto de 12 anos, que levou tiros na barriga e não tem data para ser liberado. Respira espontaneamente e o quadro é estável, com melhora clínica.

Thayane Tavares, 13 anos, está lúcida e acordada. Segundo Célia Regina Monteiro, avó da menina, ela apresenta uma boa melhora em seu quadro clinico. “Ontem ela abriu os olhos e mexeu um dos pés”, afirmou. Ela permanece internada no CTI Pediátrico do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes.

Após a visita da presidente do Flamengo , Alan Mendes Ferreira da Silva, de 13 anos, será avaliado pela equipe de cirurgia buço maxilo, do Hospital da Polícia Militar, para verificar a necessidade de cirurgia reparatória. Ele - que foi baleado na cabeça, mão e clavícula –está estável.

No Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, a menina Brenda Tavares . 13 anos, que sofreu ferimentos nas mãos, passa bem após cirurgia. Segundo ¬Breno Tavares, irmão da estudante, ainda não há uma previsão para realizarem uma operação de retirada do projétil.“Ela está otimista com a recuperação. Pediu livros, revistas e um pôster do Neymar. Ela adora o jogador do Santos”, disse.

Na mesma unidade, um menino de 13 anos, baleado no braço, também passa bem e tem boa recuperação cirúrgica. Os dois permanecem internados na enfermaria da pediatria. Estão estáveis. No hospital Alberto Torres, em São Gonçalo, na região metropolitana, permanece internado um jovem de 14 anos que sofreu uma lesão grave no ombro direito. Ele foi operado, mas passa bem e está lúcido.

Outra vítima da tragédia internada é um adolescente de 13 anos, que está no Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, na zona norte. Seu quadro de saúde evolui bem. Está consciente e lúcido.

Na última quinta-feira (7), um estudante de 14 anos, que sofreu uma lesão na perna, foi examinado no Hospital Estadual Albert Schweitzer e recebeu alta. Já na sexta-feira (8), uma menina de 13 anos, baleada no abdômen, também foi liberada .

    Leia tudo sobre: tragédia no riomassacre em escolarealengo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG