Detida sem mandado, procuradora foragida foi solta

Vera Lúcia foi detida em Búzios antes do mandado de prisão ser expedido e, por isso, teve que ser liberada

iG Rio de Janeiro |

Acusada de torturar uma menina dois anos que estava sob sua guarda provisória, a procuradora aposentada Vera Lúcia de Sant´Anna Gomes, de 57 anos, chegou a ser detida no início da tarde de ontem no município de Búzios, na Região dos Lagos do Estado do Rio, mas logo depois foi liberada. Segundo a Polícia Civil, agentes da 127ª DP (Búzios) receberam a informação de que o mandado de prisão preventiva contra a procuradora havia sido expedido, foram até a casa dela na cidade e a levaram para a delegacia. Ao constatarem que o documento não tinha sido enviado, Vera Lúcia foi liberada.

iG São Paulo
Procuradora é hostilizada ao chegar à delegacia para prestar depoimento
No final da tarde, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) decretou a prisão preventiva da procuradora. A decisão foi do juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, da 32ª Vara Criminal da capital. Mesmo com o mandado de prisão decretado, Vera Lúcia ainda não se apresentou e já é considerada uma foragida da Justiça. Policiais da 13ª DP (Ipanema), responsável pelo caso, realizam buscas em para encontrá-la. Quem tiver informações do paradeiro da procuradora deve ligar para (21) 2332-2018.

Em sua decisão, o juiz Pollo Duarte declarou que há indícios suficientes na denúncia que levam a crer que a ré realmente cometeu o crime e que justificam sua prisão. De acordo com ele, a liberdade da procuradora aposentada põe em risco a busca por provas e a garantia da ordem pública.

“A ré vem exercendo atos de coação e intimidação contra testemunhas essenciais para o esclarecimento da verdade dos fatos”, informou o magistrado. “O caso vertente vem merecendo especial destaque no meio social, não apenas em razão da natureza hedionda do delito, mas também diante das peculiares condições da vítima e da denunciada. Por tais motivos, decreto a prisão preventiva da acusada”, finalizou.

    Leia tudo sobre: procuradoraagressãoprisão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG