Desaparecimento de psicóloga completa três dias

Mãe apela para quem tiver informações sobre o caso que avise a polícia; imagens de câmeras do prédio estão sendo analisadas

iG Rio de Janeiro |

"Não faço nenhuma ideia do que tenha acontecido", desabafou Sônia Tannhauser, mãe da psicóloga karen Tannhauser, na manhã desta segunda-feira (3), na porta do apartamento onde mora no Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro. Karen está desaparecida há três dias.

A frase também reflete o mistério que a polícia civil tenta desvendar a partir da análise das imagens do circuito interno do prédio da psicóloga. As imagens mostrariam Karen entrando no prédio, na tarde do dia 31, mas não teriam filmado a sua saída.

O pai da psicóloga, Roberto Tannhauser, 69, está na 15°DP (Gávea) conversando com os investigadores do caso desde o início da manhã. Ele levou o celular da filha para a polícia rastrear as últimas ligações.

De acordo com Sônia há somente uma entrada e uma saída no prédio. A última vez que esteve com karen, foi na tarde do dia 31, quando passearam em um shopping da zona sul. As duas combinaram de se encontrar mais tarde, para a festa de réveillon. Foi quando o pai de Karen foi ao seu apartamento e notou que a filha havia desaparecido.

Sônia, que está sob efeito de comprimidos calmantes desde o desaparecimento da filha, apela para quem tiver informações sobre a psicóloga que ligue para a polícia. "Ou se a própria Karen souber que nós a estamos procurando, nos ligue", disse. 

Informações podem ser dadas à delegacia da Gávea (2332-2912) e ao serviço Disque-Denúncia (2253-1177).

    Leia tudo sobre: psicóloga desaparecidagávea

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG