Defensoria recebe denúncia de abusos da polícia no Alemão

Um morador registrou queixa contra pms que teriam quebrado sua televisão. Casa de atleta do Vasco é roubada

Anderson Ramos e Daniel Gonçalves, iG Rio de Janeiro |

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro recebeu reclamações de abuso de autoridade nesta quarta-feira no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. O órgão montou na terça-feira (30) um gabinete móvel em um ônibus na entrada da Joaquim de Queiroz, na favela da Grota. Um morador da localidade conhecida como Areal, de 40 anos, que não quis se identificar, registrou sua queixa contra policiais militares do 16º BPM (Olaria).

Segundo o homem, que é marceneiro e mora há 20 anos do Alemão, os PMs entraram na sua casa e derrubaram sua televisão no chão, quebrando o aparelho. Ele disse ainda que policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) também revistaram a residência, mas que lhe trataram bem. “Eu sou trabalhador e não tenho nada haver com essa guerra. Estou perdendo dias de trabalho só para não deixar a casa vazia”, disse ao iG .

Outro caso aconteceu com na casa de Isabel dos Santos, de 60 anos, que mora há três meses na região. Ela disse à Defensoria que saiu de casa antes da invasão ao Complexo do Alemão e foi para casa de parentes no bairro da Penha, também na zona norte. Ao voltar, haviam roubado uma televisão, o notebook e o uniforme da filha, Isabele dos Santos, 18, que é atleta do Vasco da Gama.

"“A gente passa sufoco com bandidos e agora também com a policia. Não quero mais, estou indo embora. Não vivo mais neste lugar”, contou Isabel.

De acordo com a coordenadora dos trabalhos Darci Burlandi, seis defensores públicos, com apoio de dez auxiliares, atendem a população das 10h às 18h. Segundo Burlandi, muitos encaminhamentos são referentes à retirada de documentos perdidos. Na terça, foram aproximadamente 30 atendimentos realizados.

A Polícia Militar informou que está apurando as denúncias de abuso e que vai punir de forma exemplar todos os casos comprovados. Já a Polícia Civil informou que nesta terça a corregedoria da corporação vai intensificar os trabalhos de investigação. O corregedor, capitão Paulo, vai até o Alemão acompanhar as ações.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG