Decretada prisão de falso médico após morte de criança

Inquérito investiga a morte da menina Joanna, após ser atendida por Souza, que se passou por médico

AE |

selo

A Justiça do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva do estudante de medicina Alex Sandro da Cunha Souza e da médica Sarita Fernandes Pereira. O inquérito investiga a morte da menina Joanna, de 5 anos, no dia 13 de agosto, no Hospital Rio Mar, na Barra da Tijuca, após ser atendida por Souza, que se passou por médico. 

De acordo com a decisão, a declaração do falso médico na sede policial, antes de fugir, de que fora convencido por Sarita a sair do País por dois anos "até a poeira baixar", motivou o decreto de prisão. O fato de o falso médico continuar foragido também foi relevante. 

O Ministério Público (MP) denunciou Sarita por homicídio doloso; partícipe no crime de exercício ilegal da medicina em relação a todas as vítimas não identificadas até o momento atendidas pelo segundo denunciado, pelo menos no mês de julho de 2010 na emergência do Hospital Rio Mar; estelionato, falsificação de documentos e tráfico ilícito de entorpecentes. 

Souza foi denunciado também pelo exercício ilegal da medicina, por exercício ilegal da medicina com resultado morte, estelionato, falsificação de documentos e tráfico de drogas. 

Quando Joanna foi internada, Sarita era médica plantonista responsável pelo atendimento de emergência pediátrica da paciente. A polícia investiga se a menina, que estava sob a guarda do pai, foi vítima de maus tratos. Ela chegou na unidade sofrendo convulsões e com hematomas no corpo. Souza teria atendido a menina sem acompanhamento profissional.

    Leia tudo sobre: joannafalso médico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG