Daniela Conolly, vítima das chuvas no Rio

"Daniela tinha um trabalho interessante, moderno, e era um amor de pessoa, muito carinhosa", diz bloqueiro

Andressa Zanandrea, iG São Paulo |

A designer e estilista Daniela Conolly, de 39 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (12) vítima das enchentes que atingiram a região serrana do Estado do Rio de Janeiro. Ela estava em Itaipava com a família. Eles estavam hospedados em um sítio para comemorar o aniversário do pai dela, que também morreu. Morreram ainda a mãe da estilista, o marido, Alexandre França, e o filho dela, João Gabriel, de 2 anos, a babá e três sobrinhos. A cunhada e a sobrinha dela sobreviveram.

Fotosite
Daniela Conolly
Daniela começou bordando camisetas encontradas em brechós, quando morava em Nova York. Assim começou a marca Koolture, de roupas femininas, que não existe mais. Em 2006, ela montou um ateliê na sala da casa onde morava, no Leblon. Depois, participou de uma loja colaborativa, no mesmo bairro. As peças que fazia eram voltadas para mulheres de 20 a 30 anos e tinham características românticas e vintage.

Em 2007, Daniela entrou para o evento Rio Moda Hype, que revela novos talentos, e participou também de duas edições do Fashion Rio, na categoria Novos Designers. A primeira vez foi na temporada verão 2009 - em junho de 2008 -, em que apresentou suas criações ao lado das de Giulia Borges, que está até hoje no evento. A segunda participação foi na temporada de inverno 2009 - em janeiro de 2009, ao lado da marca Filhas de Gaia, que também continua no Fashion Rio.

O blogueiro Fabio Lage conheceu a estilista quando ela estava começando no Rio Moda Hype e viu alguns desfiles da marca dela.

"Daniela tinha um trabalho interessante, moderno, e era um amor de pessoa, muito carinhosa. O marido dela estava sempre no backstage e ela costumava desfilar com a cachorrinha (Olga Berenice, da raça buldogue francês), que tinha personalidade e não se assustava com a passarela". Ele ficou chocado quando soube da morte de Daniela pela reportagem do iG . "Tinha ela no Orkut e tudo, mas não ouvi mais falar dela desde aquela época."

O jornalista Gilberto Júnior também conheceu Daniela nos backstages. "Ela era bem tranquila e calma. Trabalhava com arte para revistas e livros. Na última coleção, fez uma retrospectiva do trabalho dela", lembra ele, que também soube da morte pela reportagem do iG .

Daniela Conolly se formou em Design Gráfico em 1996, pela Parsons School of Design, em Nova York. Morou 10 anos fora do Brasil, oito deles em Manhattan, onde trabalhou com design para publicidade – assinando por três vezes consecutivas a programação visual da semana de moda nova-iorquina -, e para o mercado editorial, em empresas como a Condé Nast Publications, Newsweek e Ink & Co.

    Leia tudo sobre: Daniela Conollychuvastragédia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG