Cúpula de facção criminosa se escondia dentro da Fundação Osvaldo Cruz

Traficantes conhecidos como Sombra, Macarrão, Magno e Rolinha foram presos nas imediações da instituição durante a madrugada

iG Rio de Janeiro |

Marcelo Piu/ Agência O Globo
Traficantes da cúpula de facção criminosa foram presos com armas e dinheiro
A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu na madrugada desta quarta-feira (10) quatro traficantes apontados como integrantes da cúpula da facção criminosa Comando Vermelho (CV), a maior do Estado. Os criminosos foram presos nas imediações da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, na zona norte, armados com um fuzil e quatro pistolas. Eles também estavam com cerca de R$ 53,7 mil..

Os presos são Jorge Alexandre Cândido Maria, o Sombra; Magno Fernando Soeira Tatagiba de Souza, o Magno da Mangueira; Rodrigo Barbosa Marinho, o Rolinha; e Marcelo da Silva Soares, o Macarrão. Foram pegos ainda o traficante Renato de Souza Lopes, o Ratinho e um funcionário da Fiocruz que ajudou os criminosos a se esconderem.

Responsável pela operação, a delegada Valéria Aragão, titular da DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente) afirmou que os bandidos costumavam a se esconder dentro das instalações da Fiocruz

“Começamos a monitorar os traficantes e tivemos a informação de que o grupo se escondia de operações policiais no interior da Fiocruz. Descobrimos que eles contavam com a ajuda de um funcionário para entrar e se esconder na fundação”, comentou a delegada.

O funcionário preso atuava como auxiliar técnico da Fundação. Ele foi flagrado dirigindo um carro com adesivo da instituição. Segundo a delegada, as investigações irão prosseguir para apurar as acomodações onde os traficantes eram mantidos escondidos na Fiocruz.

Segundo policiais, o traficante Sombra escapou recentemente da cadeia onde cumpria pena em regime semiaberto. Ele era monitorado por uma pulseira eletrônica mas arrebentou o equipamento. Apontado como um dos chefes da comunidade Vila Kennedy, na zona oeste, logo que deixou a prisão, Sombra planejou uma invasão à localidade que está dominada por uma facção rival. Recentemente, a polícia apreendeu fardas semelhantes às do Bope (Batalhão de Operações Especiais) que seriam usadas pelo bandido na invasão.

O criminoso conhecido como Rolinha é um dos chefes do morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na zona norte. De acordo com fontes da polícia, ele seria atualmente o presidente da facção na rua e responsável pelo recolhimento do dinheiro da "caixinha" do grupo, que serve para cobrir prejuízos da quadrilha na perda de armas e drogas e para sustentar comparsas presos e suas famílias. Magno da Mangueira é seu sócio no Juramento.

Já Macarrão atua na favela de Antares, em Santa Cruz, na zona oeste.

    Leia tudo sobre: tráficomanguinhosfacção criminosa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG