Criminoso parecia querer matar meninas e ferir meninos

A curta distância, Wellington Oliveira atirava na cabeça e tórax de garotas e disparava nas pernas e braços de rapazes

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

Para alunos que estavam nas salas de aula invadidas pelo atirador Wellington Menezes de Oliveira, não é por acaso que a maior parte das vítimas tenha sido meninas.

Segundo relatos ouvidos pelo iG, o criminoso tinha um comportamento diferente de acordo com o gênero das vítimas: as meninas eram atingidas principalmente na cabeça e no tórax, os meninos nas pernas e nos braços.

Como tinha duas armas e estava diante de grupos de crianças assustadas, Wellington andava com frieza e em nenhum momento enfrentou reação dos estudantes enquanto disparava a pouca distância das vítimas.

“Ele parecia calmo”, contou o aluno Mateus Moraes, 13 anos, da sala 1801, no primeiro andar.

Embora não explicasse os motivos por que atirava, era possível perceber que sua atitude era diferente em relação às meninas. “Não sei por quê, mas ele atirava para matar nas meninas, e nos meninos disparava nos braços e nas pernas”, disse.

    Leia tudo sobre: MassacreescolaRealengo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG