"Tiro no antebraço significa proteção", diz médico cirurgião que atendeu vítimas do atirador na escola em Realengo, no Rio

O capitão da Polícia Militar Jorge Manaia, médico cirurgião que atendeu algumas das vítimas do atirador da escola em Realengo , no Rio de Janeiro, contou ao iG que algumas das crianças foram atingidas por tiros no antebraço. “Tiro em antebraço significa proteção. As crianças provavelmente estavam tentado se proteger”, explicou. O capitão está no centro cirúrgico do Hospital Militar aguardando a chegada de outros feridos.

Até o momento, duas crianças foram conduzidas ao hospital da corporação, segundo o capitão. Uma delas morreu no início da tarde na sala de cirurgia, com um tiro no ombro que lesionou alguns órgãos, incluindo o tórax. A outra criança levou um tiro na face direita e outro em um dos antebraços.

Algumas crianças que foram encaminhadas ao Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia apresentaram fraturas nas pernas. Elas teriam se machucado ao descerem as escadas correndo.

De acordo com o governador do Rio, Sérgio Cabral, médicos e enfermeiros estão sendo convocados. Além disso, o banco de sangue do Rio, Hemorio, está solicitando que a população doe sangue em caráter de emergência.

Bastante emocionado, o prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes, falou que as escolas do município são estabelecimentos de ensino abertos à população. “Esse psicopata se aproveitou do conhecimento e da rotina da escola onde ele estudou por cinco anos e entrou para fazer essa barbárie”, disse.

As autoridades fizeram um agradecimento especial ao sargento Alves, da Polícia Militar, "pela coragem de entrar no colégio em meio a tantos tiros e conseguir que a catástrofe não fosse pior".

“Todos nós somos pais e estamos indignados”, afirmou Cabral. A presidenta Dilma Rousseff ligou para o governador para lamentar profundamente o ocorrido e colocando o governo federal à disposição do Rio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.