Criança e segurança baleados em assalto a joalheria morrem

Seis pessoas foram atingidas durante o assalto na noite desta quinta-feira (10) em Itaguaí, na Baixada Fluminense

Bruna Fantti e Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

nullO menino Lucas dos Santos Ouverney, de 7 anos, e o segurança Alexandre Silvério, de 36 anos, morreram após uma tentativa de assalto , na noite desta quinta-feira (10), a um shopping em Itaguaí, na Baixada Fluminense.

Até o início da tarde, o pai do menino ainda não sabia da morte do filho. A informação é da equipe médica do Hospital São Francisco Xavier, onde Isaías Ouverney Machado está internado.

Lucas dos Santos Ouverney foi baleado no pé e na virilha durante uma troca de tiros entre seguranças e criminosos. Outras quatro pessoas foram atingidas durante a ação.

No hospital, todas as televisões ao redor de Isaías permaneciam desligadas por determinação da unidade médica para que ele não tenha acesso aos noticiários. Ele será informado ainda hoje sobre a morte de Lucas por uma psicóloga, uma assistente social e um médico. Segundo Elias, irmão de Isaías, o menino era filho único e sua cunhada não pode mais ter filhos.

De acordo com a equipe médica, Isaías foi atingido por um tiro no abdômem. Após ser operado, ele passa bem. Ele tinha ido ao shopping comprar um computador o filho quando ambos foram acertados por disparos. Lucas chegou a ser transferido para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, mas não resistiu aos ferimentos.

A família cuida agora dos trâmites para a liberação do corpo do menino junto ao Instituto Médico Legal (IML). O enterro está previsto para ocorrer neste sábado (12).

A troca de tiros começou depois que um policial que passava pelo local reagiu ao assalto. Um dos criminosos foi preso.

'Segurança foi um herói', afirma irmão da vítima

O segurança Alexandre Silvério, de 36 anos, também chegou a ser levado para o Hospital São Francisco Xavier, no centro de Itaguaí, passou por uma cirurgia, mas não resistiu.

O tio do menino atingido, Elias Ouverney, afirmou que o segurança tentou proteger o irmão e o sobrinho. "O Lucas estava olhando uma vitrine quando foi baleado. O meu irmão, Isaías, que estava ao lado do Lucas, também foi atingido. Nesse momento, o segurança se atirou em cima dos dois para protegê-los, quando foi baleado já no chão, na cabeça. O segurança foi um herói. Meu irmão também teria morrido se não fosse ele", disse.

Futura Press
Fachada do recém-inaugurado shopping Pátio Mix, em Itaguaí, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, onde aconteceu o tiroteio

Assaltante seria de comunidade pacificada

O único suspeito preso, Adílio Portugal da Silva, de 27 anos, informou que seus três comparsas, que conseguiram fugir, seriam de comunidades de Santa Teresa - recém ocupadas pela polícia para a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). 

Para despistar a polícia, Adílio chegou a acusar um jovem que foi detido para averiguações. L.S.P., no entanto, havia ido ao shopping com a mãe para comprar um aparelho de ar-condicionado e acabou ferido no rosto. Bastante abalada, a mãe do rapaz desabafou: "Escutei um barulho e pensei que fosse bomba. Consegui escapar e fiquei gritando 'meu filho, meu filho'. Foi a primeira e última vez que vim aqui, nunca mais".

    Leia tudo sobre: joalheriaassaltoqueimados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG