Crea-RJ descarta risco de desabamento em hospital da UFRJ

Segundo o conselho, algumas pessoas confudiram uma junta de dilatação com rachadura

Agência Brasil |

Mônica Imbuzeiro/Agência O Globo
Fachada do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão

Engenheiros do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ) garantiram que as condições estruturais do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão, zona norte do Rio, não oferecem risco de desabamento.

A constatação foi feita após uma vistoria realizada nesta terça-feira (4). A situação mais grave é no setor cirúrgico, onde houve um aumento na junta de dilatação, intervalo entre duas seções de uma construção, para permitir que cada uma delas se dilate e não "estoure".

Segundo o conselheiro do Crea, Antonio Eulálio Pedrosa, responsável pela vistoria, as pessoas confundiram a junta de dilatação com rachaduras. "As pessoas confundem mesmo. Essas juntas vêm se movimentando há alguns meses e, dessa vez, houve uma movimentação maior que o normal, que fez com que as pessoas ficassem assustadas”.

Pedrosa explicou ainda que a implosão de parte do prédio , em dezembro do ano passado, e as recentes variações de temperatura “aceleraram o processo de movimentação” das juntas, e que agora cabe apenas aos diretores do hospital adotar providências de reparo físico e higiênico do local, pois funcionários relataram também a presença de insetos e ratos nas instalações.

Além do Crea-RJ, a Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil e integrantes da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação da UFRJ (Coppe-UFRJ) estiveram no local e também garantiram que a unidade está segura e poderá prosseguir com a rotina de trabalho.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG