Crea-RJ apura se obra realizada em prédio era legal

Conselheiro do órgão realizou vistoria preliminar e aponta possibilidades para desabamento

Beatriz Merched, iG Rio de Janeiro |

O engenheiro civil e conselheiro do Crea-RJ (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) do Rio de Janeiro, Antônio Araújo, apura se obra realizada no prédio número 44 da Avenida Treze de Maio era legal, ou seja, tinha aval do conselho para ser realizada e um engenheiro responsável. O prédio de 18 andares foi o primeiro a desmoronar e tinha uma obra sendo realizada há cerca de 15 dias em um dos últimos andares.

De acordo com Araújo, que é especialista em engenharia estrutural, a possibilidade de uma explosão de gás ter sido a causa do desmoronamento foi descartada, já que o prédio caiu de cima para baixo. Em caso de explosão, segundo o conselheiro, destroços seriam arremessados para cima e para os lados.

Colabore: Envie seu relato sobre os desabamentos dos prédios no centro do Rio

"Há várias hipóteses para o prédio ter ruído: ruptura de pilar, alteração estrutural de algum suporte, corrosão, infiltração da laje. Todas relacionadas a algum dano estrutural", afirmou, após realizar uma vistoria preliminar no local, na manhã desta quarta-feira (26).

Assista: Vídeos mostram momentos logo após os desmoronamentos de prédios

Ainda segundo o conselheiro, o engenheiro responsável pela obra que era realizada no último andar está sendo procurado. "Os prédios eram novos, um da década de 50, 60. Os dois menores da década de 30. Vamos apurar se a obra era legal, com engenheiro cadastrado e se comunicaram ao Crea-RJ, como deve ser feito", afirmou.

Veja imagens da destruição no centro do Rio de Janeiro:

    Leia tudo sobre: desabamentoprédiodesabamento de prédio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG