Corpo da engenheira Patrícia estaria na Rocinha, aponta Disque-Denúncia

Policiais civis passaram a manhã na mata localizada no alto da favela, mas não encontraram cemitério clandestino

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

A Polícia Civil investiga a informação recebida pelo serviço do Disque-Denúncia de que os corpos da engenheira Patrícia Amieiro Franco e da modelo Luana Rodrigues de Sousa estariam enterrados em um cemitério clandestino no alto da Favela da Rocinha, em uma localidade conhecida como “Toca do Nem”.

Relembre o sumiço da engenheira Patrícia Franco:

‘Acordo achando que Patrícia está viva’, diz pai de engenheira desaparecida

Com a ajuda de moradores da comunidade, agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) estiveram no local, mas não conseguiram localizar o cemitério. O serviço do Disque-Denúncia recebeu a informação às 20h11 de quarta-feira (16) e nela continham detalhes de onde estariam os corpos.

Relembre o sumiço da modelo Luana Rodrigues:

Suspeito de ligação com sumiço de modelo na Rocinha se entrega à polícia

Segundo a denúncia, que também está sendo checada pelo Bope, o cemitério clandestino fica perto de uma cachoeira e embaixo de duas torres de transmissão. A mesma informação dá dicas sobre locais onde estariam escondidas armas e drogas.

Confira o story board sobre o desaparecimento da engenheira Patrícia:

    Leia tudo sobre: engenheira patríciadesaparecimentomodelo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG