Conheça os grupos criminosos que controlam favelas do Rio

Quatro quadrilhas disputam o poder em comunidades carentes

Mario Hugo Monken, iG Rio de Janeiro |

Pablo Jacob/Agência O Globo
Túnel construído pelos traficantes no morro da Mangueira, controlado pela maior facção criminosa do Rio, o Comando Vermelho
Quatro grupos criminosos controlam favelas do Rio de Janeiro. O mais antigo deles é o Comando Vermelho (CV). A facção surgiu na década de 70 no presídio da Ilha Grande, em Angra dos Reis, no Sul Fluminense, com o nome de Falange Vermelha, a partir do contato entre presos políticos e criminosos comuns.

Nos anos 80, o CV passou a ocupar morros na cidade, como o Juramento, em Vicente de Carvalho, na zona norte, reduto de José Carlos dos Reis Encina, o Escadinha, e atuar no tráfico de drogas. A base de atuação do grupo era o Complexo do Alemão.

Com a ocupação da área pela Força de Pacificação do Exército, as principais favelas do CV passaram a ser o Jacarezinho e Manguinhos, na mesma região. Seus maiores líderes são Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar e Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP , ambos presos.

Rival do CV, a facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) surgiu em meados dos anos 90 dentro do complexo penitenciário de Bangu, na zona oeste. Foi fundada pelo traficante Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, que foi expulso do CV. O principal reduto da ADA hoje é a favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul.

O Terceiro Comando Puro (TCP) foi criado em 2002 após um racha entre o antigo Terceiro Comando (TC) e a ADA que, embora fossem facções diferentes, eram unidos. Suas principais áreas são os complexos de Senador Camará, na zona oeste, e o da Maré, na zona norte.

Formada, em sua maioria, por policiais militares e civis, ex-policiais, agentes penitenciários, bombeiros e até políticos, as milícias também controlam favelas no Rio. Esses grupos expulsaram os traficantes das localidades e cobram taxas de segurança de moradores e comerciantes, e exploram serviços como distribuição de gás e TV a cabo clandestina (gatonet). As principais áreas de atuação da milícia são o bairro de Campo Grande e a favela Rio das Pedras, em Jacarepaguá, ambas na zona oeste.

Nos últimos três meses, as facções criminosas entraram em confronto pelo controle de várias favelas no Rio. Veja abaixo o mapa dos conflitos:

    Leia tudo sobre: grupos criminososfavelasRio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG