Começa julgamento dos PMs acusados pela morte de juíza

Audiências sobre o assassinato de Patrícia Acioli devem durar seis dias

iG Rio de Janeiro |

O juiz Peterson Barroso Simão, da 3ª Vara Criminal de Niterói, iniciou na manhã desta quarta-feira (9) o julgamento dos 11 policiais militares acusados de participação no assassinato da juíza Patrícia Lourival Acioli . A magistrada, então titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo (RJ), foi assassinada com 21 tiros na noite de 11 de agosto deste ano na porta de sua casa no bairro de Piratininga, em Niterói.

Leia também: Justiça decreta prisão de 11 PMs acusados de morte de juíza

A previsão é de que hoje e nos próximos dias 10, 11, 16, 17 e 18 de novembro sejam ouvidas 14 testemunhas de acusação e aproximadamente 130 de defesa. Nesses dias também vão ser feitos os interrogatórios dos réus.

São acusados pelo crime: Cláudio Luiz Silva de Oliveira, Daniel Santos Benitez Lopez, Sérgio Costa Júnior, Jovanis Falcão Junior, Jeferson de Araújo Miranda, Charles Azevedo Tavares, Alex Ribeiro Pereira, Júnior Cezar de Medeiros, Carlos Adílio Maciel Santos, Sammy dos Santos Quintanilha e Handerson Lents Henriques da Silva.

Liberdade negada

Na terça-feira (8), o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou o pedido de liberdade para o tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira , ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo. O oficial é acusado de ser o mandante do assassinato de Patrícia Acioli.

Oliveira está preso no Presídio Bangu 1, no Complexo de Gericinó, na zona oeste do Rio de Janeiro. O habeas corpus foi negado por unanimidade pelos desembargadores da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Também estão presos em Bangu 1 os outros dez policiais militares denunciados pelo crime.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG