Comando da Polícia Militar garante normalidade no Estado do Rio

Autoridades de segurança contradizem grevistas e afirmam que não há paralisação

iG Rio de Janeiro |

Gabriel de Paiva / Agência O Globo
Policiamento estava normal na manhã desta sexta-feira (10) na Praia do Arpoador
O comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro informou no final da madrugada desta sexta-feira (10) que todos seus batalhões estão em pleno funcionamento. Em nota, a PM destacou que as unidades contam inclusive com o apoio de soldados do Bope e Batalhão de Choque no patrulhamento.

Leia também: PM usa pressão militar, ameaça exclusão sumária e tropa vai às ruas

"Não há paralisação de nenhum tipo de serviço para o cidadão. A Polícia Militar reitera seu compromisso com a segurança da população do Rio de Janeiro", relata o comunicado. A assessoria de imprensa da Polícia Civil também informou que todas as delegacias estão abertas e funcionam normalmente.

Policiais militares, policiais civis e bombeiros decidiram no final da noite de quinta-feira (8), em assembleia geral, decretar greve a partir desta sexta-feira (10). Entre as principais reivindicações, estão o estabelecimento de um piso salarial de R$ 3,5 mil e a libertação do cabo bombeiro Benevenuto Dalciolo , preso na noite de quarta-feira (7), após retornar de Salvador, onde acompanhava a greve dos policiais baianos.

A concentração na Cinelândia, em frente à Câmara de Vereadores, começou por volta das 17h e a decisão pela greve foi tomada às 23h21, quando os cerca de 1,5 mil presentes, segundo organizadores, aprovaram a paralisação por aclamação. A recomendação das lideranças foi para que os policiais e bombeiros sigam para suas unidades, mas se recusem a sair.

O secretário da Defesa Civil e comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, anunciou durante à tarde que o Exército disponibilizou 14 mil soldados para patrulhar o Estado do Rio. Também são esperados 300 homens da Força Nacional de Segurança, que trabalharão nos serviços prestados pelos bombeiros.

Com a proximidade do carnaval , a preocupação é garantir segurança aos milhares de turistas que chegam ao Rio para a festa. Segundo o comandante dos bombeiros, o carnaval será realizada com a segurança feita pelas forças federais e de efetivos que não aderiram à greve.

* com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: grevepoliciais militarespmsbombeirosparalisação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG