Comandante interino da PM já foi preso por comandar sessão de espancamento

Episódio ocorrido há 14 anos na Cidade de Deus ficou conhecido como "muro da vergonha"

iG Rio de Janeiro |

O chefe operacional do Estado Maior, tenente-coronel Álvaro Garcia, assumiu interinamente o comando-geral da Polícia Militar enquanto o coronel Mário Sérgio Brito Duarte estiver afastado por questões médicas . Há 14 anos, Garcia ocupava o posto de major do 18º BPM (Jacarepaguá) e chegou a ficar preso por ter comandado uma sessão de agressões na Cidade de Deus.

Registrado por um cinegrafista amador, o caso ficou conhecido na época como “muro da vergonha”. As imagens mostravam 11 moradores sendo agredidos com tapas no rosto e joelhadas por cinco policiais comandados por Garcia.

O tenente-coronel passou seis meses na carceragem do Batalhão de Choque antes de ser condenado a um ano e dez meses de prisão. O oficial conquistou, no entanto, o direito de gozar a pena em liberdade e passou a exercer serviços internos na PM. Em 2003, o então secretário estadual de Segurança, Anthony Garotinha convidou o tenente-coronel a comandar o 22º BPM (na época Benfica, hoje Maré).

A previsão é de que Garcia ocupe interinamente o comando-geral da PM até o próximo dia 27 de outubro, quando o coronel Mário Sérgio Brito Duarte voltará da licença médica. Ele se recupera de uma cirurgia para a retirada de um nódulo na próstata.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG