Cinco PMs são afastados com base em decisão de juíza assassinada

Afastamento foi determinado por causa de irregularidades cometidas pelos agentes quando eles trabalhavam no batalhão de São Gonçalo

Agência Brasil |

Reprodução Facebook
Patrícia Acioli tinha 47 anos e foi morta quando chegava em sua casa, em Niterói
Cinco policiais militares do município de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, foram afastados do patrulhamento de rua, por determinação do comando do batalhão da cidade.

A ação foi feita com base em uma decisão tomada pela juíza Patrícia Lourival Acioli , da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, assassinada no dia 12 de agosto.

A magistrada determinou o afastamento dos policiais por causa de irregularidades cometidas pelos agentes quando eles ainda trabalhavam no batalhão de São Gonçalo, município vizinho.

A assessoria de imprensa da Polícia Militar (PM) não informou, no entanto, que irregularidades ou crimes foram cometidos pelos soldados.

Na última semana, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro encaminhou ao Comando-Geral da Polícia Militar fluminense uma lista com o nome de 91 policiais que são réus em processos de homicídios em São Gonçalo.

O tribunal solicitou que os PMs sejam afastados. A corporação está analisando a lista e verificando a necessidade de afastar ou transferir os agentes. A participação de policiais militares no assassinato da juíza está sendo investigada pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil e pela própria PM.

    Leia tudo sobre: assassinatojuízajuíza assassinadapatrícia acioli

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG