"Cenário era de guerra", diz 1º PM a chegar ao local do acidente

Soldado fez guarda dos bondes por quatro anos e diz que motoneiro morto no tombamento em Santa Teresa era um dos mais experientes

Anderson Ramos, especial para iG Rio de Janeiro |

O soldado Mario de Oliveira Santos Neto, 31 anos, do 5º Batalhão de Polícia Militar, trabalhou por quatro anos como policial segurança nos bondes. Há dois anos atuando como rádio patrulha em Santa Teresa, bairro turístico do Rio de Janeiro, ele foi o primeiro PM a chegar no local do acidente com o bonde , que deixou cinco mortos e 57 feridos, na tarde deste sábado.

Segundo Neto, o socorro começou por volta das 16h. Ele descreve o que viu como “um cenário de guerra”. “Eram pessoas com fraturas expostas e com as cabeças abertas”, diz.

Ao chegar ao local do acidente, o soldado disse ter visto "muitas pessoas pulando da composição pedindo socorro". Uma das vítimas socorridas por Neto era um bebê, que tinha ferimentos graves na cabeça.

O policial também disse conhecer o motoneiro (motorista do bonde) Nelson Correia da Silva, que morreu no local do acidente, preso às ferragens. “O Nelson era meu amigo e tinha mais de 30 anos de experiência”, afirma.

Para o policial, uma falha no freio do bonde pode ter provocado o acidente. “Ele era um dos motoneiros mais experientes e, com certeza, aconteceu algum problema técnico para essa tragédia ter acontecido.”

“Nesses seis anos de experiência na PM, foi a pior ocorrência que já atendi”, completa.

Durante o resgate, ele parou um ônibus da linha A72 e colocou pelo menos 30 feridos dentro do veículo. As pessoas foram conduzidas até o Hospital Souza Aguiar, com a ajuda do motorista do ônibus.

O acidente

No momento do acidente, o bonde fazia uma curva perto do Largo do Curvelo, quando seguia em direção ao Centro do Rio.

O tombamento deixou pelo menos cinco mortos, sendo três homens e duas mulheres, e ao menos 57 feridos , segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde e do Corpo de Bombeiros. Os feridos foram levados aos hospitais Souza Aguiar, Andaraí e Miguel Couto.

O motivo do acidente ainda é desconhecido e só deve ser confirmado após a realização da perícia, mas as primeiras conclusões apontam que o veículo estaria superlotado, de acordo com autoridades envolvidas na investigação.

Pela estrutura de que dispõe, o bonde teria capacidade para transportar 32 pessoas sentadas, 12 em pé, além de alguns passageiros acomodados no estribo lateral.

Resgate

Três quartéis foram mobilizados para realizar o atendimento às vítimas, numa operação que envolveu aproximadamente 40 bombeiros, segundo o comandante-geral Sérgio Simões. Embora pessoas presentes no local tenham alegado que o socorro demorou a chegar, o comandante afirmou que os bombeiros compareceram rapidamente ao ponto onde o acidente ocorreu.

O bondinho é um símbolo tradicional de Santa Teresa, bairro com um perfil cultural e que atrai muitos turistas brasileiros e estrangeiros. Em junho, o francês Charles Damien Pierson , 24 anos, morreu ao cair de um desses bondinhos quando passava por cima dos Arcos da Lapa.

(Com Raphael Gomide, do Rio de Janeiro)

    Leia tudo sobre: acidentebondeSanta Teresaferidos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG