Celular no bolso ajudou na identificação de vítima de desabamento

Porteiro de edifício morreu soterrado e corpo foi identificado pela filha

Luisa Girão e Priscila Bessa, iG Rio de Janeiro |

O celular que estava no bolso ajudou a identificação do corpo de Cornélio Ribeiro Lopes, de 73 anos. Ele era porteiro do edifício de 18 andares que desabou na noite de quarta-feira (25) no centro do Rio de Janeiro e morreu após ser soterrado pelos escombros.

Leia também: Corpos são encontrados entre escombros de prédios no Rio de Janeiro

“Ele morava com a mulher no prédio. Ela continua desaparecida. Seu corpo provavelmente deve estar embaixo dos entulhos”, disse Sandra Maria Ribeiro, de 40 anos, filha de Cornélio.

O porteiro trabalhava havia 20 anos no prédio e era muito querido pelas pessoas que frequentavam o edifício. “Fiquei sabendo do desabamento só hoje. É tudo muito triste. Ele ia fazer aniversário no próximo dia 2 de fevereiro”, contou Sandra, na porta do Instituto Médico Legal (IML) enquanto aguardava a liberação do corpo de seu pai.

    Leia tudo sobre: desabamentoprédiodesabamento de prédio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG