Caso Juan: perícia acha possíveis marcas de sangue em viaturas

Diretor do ICCE, contudo, afirma que só saberá se marcas são de sangue humano dentro de uma semana

iG Rio de Janeiro |

O diretor geral de polícia técnico-científica Sérgio da Costa Henriques, do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), afirmou nesta terça-feira que o exame de “luminol” feito em cinco viaturas da Polícia Militar (PM) deu positivo. A perícia faz parte das investigações do desaparecimento de Juan de Moraes, de 11 anos, após um tiroteio na comunidade Danon, em Nova Iguaçu , no último dia 20. Outros exames, porém, terão de ser feitos para confirmar se as marcas nos carros correspondem a sangue humano.

As três Blazers e dois Gols tiveram seus GPS rastreados para confirmar que estiveram no local. O irmão de Juan, Weslley Felipe de Moraes, de 14 anos, além de Wanderson Santos de Assis, de 19, foram baleados no tiroteio. A verificação dos GPS foi solicitada, de acordo com Henriques, pela 56ª DP (Comendador Soares), que investiga o caso.

“O exame de luminol deu positivo. Para sabermos se é sangue, a reação é rápida, saberemos em um ou dois dias. Para confirmar se é sangue humano, será um pouco mais demorado, provavelmente mais uma semana. Mas estamos cogitando fazer direto o perfil genético, traçar logo o DNA. Isso está sendo decidido com os outros diretores do ICCE. Confirmando que é sangue humano, o DNA será feito de qualquer forma para ser confrontado com o material da família de Juan”, explicou Henriques, acrescentando que foram colhidas diversas amostras e que a família do menino será contatada se qualquer uma delas acusar sangue humano. Ele não informou prazo exato para divulgação do laudo pericial.

    Leia tudo sobre: JuandesaparecimentotiroteioPM

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG