Cabral tira licença de 7 dias após morte de namorada do filho

Governador do Rio estava em Porto Seguro e tomaria o mesmo helicóptero na viagem seguinte. Ausência se dá por 'motivos de ordem pessoal'

iG Rio de Janeiro |

Wagner Meier/AE
Mariana Noleto foi enterrada esta tarde em um cemitério da zona sul carioca
O governador do Rio, Sérgio Cabral, tirou licença do cargo por uma semana, entre esta segunda (20) e o dia 26 de junho, alegando “motivos de ordem pessoal”.

Na noite da última sexta-feira (17), Mariana Fernanda de Noleto, 19 anos, namorada de seu filho Marco Antônio havia sete anos, morreu em acidente de helicóptero em Trancoso. O corpo de Mariana foi encontrado na manhã desta segunda-feira e foi sepultado esta tarde, no Cemitério São João Batista, no Rio.

Cabral e Marco Antônio acompanharam a cerimônia. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, esteve no cemitério para prestar solidariedade às famílias.

Um ofício do governo comunicando o afastamento foi enviado esta manhã à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Futurapress
Peça do helicóptero que caiu no mar em Trancoso (BA), causando a morte de ao menos cinco pessoas, foi encontrada boiando no mar
Mais quatro pessoas morreram no acidente – Fernanda Kfuri, 34 anos, o filho, Gabriel Kfuri Gouveia, 2, o sobrinho Luca Kfuri de Magalhães Lins, 3, a babá Norma Batista de Assunção, 49. Dois outros ocupantes da aeronave continuam desaparecidos – o piloto e dono do helicóptero, Marcelo Mattoso de Almeida, e Jordana Kfuri Cavendish.

De acordo com a assessoria de imprensa do governador, Cabral estava no local na tarde de sexta e tomaria o mesmo helicóptero na viagem seguinte, assim como o filho. O Esquilo comporta seis pessoas.
Cabral, o filho e Mariana estavam reunidos com a família do empresário Fernando Cavendish, dono da Delta Construções – que perdeu a mulher, Fernanda, e o filho, Gabriel, no acidente – e a de Marcelo de Almeida, dono do helicóptero e sócio do condomínio de luxo Jacumã Ocean Resort, para onde estavam indo. Todos tinham jantado no Villa Vignoble Terravista Resort, em Trancoso, e fariam de helicóptero o percurso de 15 km.

A viagem não foi informada na agenda oficial de Cabral para sexta-feira. O último compromisso anunciado foi um evento quinta-feira, em Brasília, com a presidenta Dilma Rousseff.

AE
Buscas pelos desaparecidos na queda do helicóptero em Trancoso, no sul da Bahia, nesta segunda-feira (20)
O trajeto deveria levar cerca de 10 minutos, e a aeronave decolou do aeródromo de Porto Seguro às 18h41. A última visualização por radar foi 16 minutos depois, às 18h57. A Marinha informou que havia um aviso de condições meteorológicas desfavoráveis para a região: chovia fino, ventava e havia neblina na hora do acidente.

Cabral mobilizou bombeiros do Rio para auxiliar no socorro às vítimas do acidente.

Em nota de hoje, Cabral lamenta a morte de Mariana. “Mariana Noleto fez parte da nossa família durante sete anos. Namorada de um dos meus filhos, Marco Antônio, ela contagiou a todos nós com a sua leveza e alegria. Estudante aplicada, filha cercada de amor e de amigos, Mariana trará sempre à lembrança todo o seu encantamento. A nossa família está triste e presta os mais profundos sentimentos à família da para sempre querida Mariana.”

Durante o período de licença de Cabral, assume o vice-governador, Luiz Fernando de Pezão.

    Leia tudo sobre: Sérgio Cabrallicençatira7 diasmortenamoradafilho

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG