Cabral anuncia "alerta máximo" por fortes chuvas no Rio

Número de pessoas desalojadas chega a quase 35 mil em todo o Estado

Reuters |

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral , anunciou na noite desta quinta-feira (5) alerta máximo em todo o Estado devido à perspectiva de novos temporais nos próximos dias. Ele se reuniu com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra.

A forte chuva que afeta as regiões norte e noroeste do Estado desde a virada do ano aumentou bastante o nível dos rios, uma ameaça para as famílias de várias cidades que são cortadas pelos rios Pomba, Muriaé e Paraíba do Sul.

"Estamos dando alerta máximo a todo o Estado do Rio de Janeiro, sobretudo àquelas regiões que foram atingidas já pelas chuvas, como norte, nordeste e (região) serrana", Cabral disse a jornalistas.

Leonardo Berenger / Futura Press
Rompimento de um dique que represa as águas do rio Muriaé provocou uma cratera na rodovia BR-356
O número de pessoas desalojadas chega a quase 35 mil em todo o Estado, segundo a Defesa Civil. Seis cidades do norte e nordeste do Estado decretaram situação de emergência em consequência da chuva acima da média registrada nos últimos dias.

Nesta quinta-feira, um trecho de uma estrada que serve como dique de contenção de um rio se rompeu na cidade de Campos dos Goytacazes, no norte do Rio de Janeiro, e ao menos quatro mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas às pressas antes que a água invadisse o distrito de Três Vendas.

Homens do Exército foram acionados para ajudar na retirada dos moradores de Três Vendas, a cerca de dois quilômetros de onde houve o rompimento de um trecho da rodovia BR-356 que funciona como dique de contenção do rio Muriaé. Parte das ruas da localidade já foi tomada pela água.

"Montamos barreiras de pedra para tentar evitar o avanço da água, mas está difícil... a situação, no entanto, está sob controle e, por ora, não há risco de outras regiões serem inundadas", disse à Reuters a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho.

Mais de 1.000 famílias já foram retiradas de Três Vendas e levadas para casas de parentes e abrigos, segundo a Prefeitura de Campos. "Não temos hora para sair daqui porque vamos continuar fazendo as remoções até que todas as pessoas de Três Vendas estejam em segurança. Agora, cerca de 40% das ruas estão tomadas por água e a previsão é que atinja todas as ruas", disse o subsecretário da Defesa Civil de Campos, Major Edison Pessanha, de acordo com a página da prefeitura na Internet.

Em janeiro de 2011, o Estado do Rio sofreu uma tragédia por causa das chuvas na região Serrana, com cerca de 900 mortos em decorrência de gigantescos deslizamentos de terra. Neste início de ano já são quase 20 mil pessoas fora de suas casas no Estado, mas apenas uma morte foi confirmada.

O Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, se reuniu pela manhã com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, para tratar da recuperação das áreas atingidas e viajou para o Rio de Janeiro para conversar com Cabral.

Na sexta-feira, o ministro irá a Minas Gerais, o Estado mais afetado pelas chuvas na região Sudeste do país, com seis mortes confirmadas, para conversar com governador Antonio Anastasia, informou a assessoria de imprensa do Ministério.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG