Bope procura traficantes que invadiram casa na Floresta da Tijuca

Polícia suspeita que Fabiano Atanázio da Silva, o FB, que chefiava o tráfico na Vila Cruzeiro, estivesse no bando

Daniel Gonçalves e Anderson Ramos, iG Rio de Janeiro |

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) realiza buscas desde a tarde de quarta-feira (1) na Floresta da Tijuca, na região da Gávea Pequena, zona do Rio de Janeiro, por criminosos que fizeram uma família refém em uma casa na Vista Chinesa. A informação foi confirmada pelo relações públicas do Bope, capitão Ivan Blaz.

O Batalhão de Polícia Florestal e Meio Ambiente reforçou com quatro homens a equipe na Gávea Pequena, onde há um posto com cinco agentes. Eles estão ajudando nas buscas.

A suspeita é de que Fabiano Atanázio da Silva, o FB, que chefiava o tráfico de drogas na Vila Cruzeiro, na Penha, estivesse no bando, acompanhado de mais seis bandidos.

A residência foi invadida na madrugada de quarta e é localizada na Estrada da Vista Chinesa, um dos caminhos para a Rocinha. Segundo Blaz, há a suspeita de que os criminosos estariam tentando acessar a favela, pois haveria um acordo entre a facção que comanda a Vila Cruzeiro e o Complexo do Alemão e a rival, que domina a Rocinha.

O pacto entre os grupos rivais teria como objetivo reagir à expansão das Unidades de Polícia Pacificadora, que já somam 13 no Rio. A Secretaria de Segurança não confirma esse acordo das facções.

Uma das vítimas mantidas como refém é um perito da PF lotado na Superintendência do Rio. Um amigo dele telefonou para a casa invadida e, ao perceber que uma pessoa estranha havia atendido, fingiu-se de gerente de um banco. O bandido passou a ligação para o perito, que conversou com o colega por códigos. Em seguida, a polícia foi avisada.

Ainda de acordo com o capitão do Bope, o perito afirmou que um dos criminosos estava machucado na perna. A polícia tem informações de que FB estaria ferido. O bando se dividiu na fuga e ninguém foi preso. Uma parte saiu em uma picape do perito e a outra escapou pela mata.

Ivan Blaz disse que o perito revelou que um dos homens que invadiram a casa era tratado pelos demais como o chefe, e que todos estavam famintos e cansados.

O Complexo do Alemão foi invadido no domingo (28) numa ação das Forças Armadas e das polícias Militar, Civil e Federal. Na quinta-feira (25), a Vila Cruzeiro já havia sido dominada.

    Leia tudo sobre: bopefbvila cruzeirocomplexo do alemão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG