Bope apreende oito motos em condomínio próximo à Rocinha

Polícia diz que veículos estavam emárea de luxo na Gávea e seriam usados para fuga do bando do traficante Nem

iG Rio de Janeiro |

Divulgação Bope-RJ
Motos estavam escondidas em condomínio residencial localizado próximo à favela
Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) apreenderam oito motos dentro de um condomínio residencial em São Conrado, próximo à favela da Rocinha, no fim da noite desta sexta-feira (11). Segundo a polícia, os veículos seriam usados por traficantes do grupo de Nem para fugir da comunidade.

Lei também: Rocinha será ocupada durante a madrugada de domingo

Os policiais chegaram até as motos, algumas superpotentes, após uma denúncia anônima. Para esconder os veículos no condomínio Gávea Parque, localizado na Rua Arantes Filho, os criminosos teriam seguido até o local fortemente armados de fuzis na madrugada de quinta-feira (10).

Entre os veículos está uma uma Kawasaki 750 Z e uma Yamaha Fazer 600 (que seria usada por Nem para circular dentro da Rocinha).

Veja mais: Polícia prende Nem, o traficante mais procurado do Rio de Janeiro

Dois suspeitos foram encontrados com as motos, um deles, segundo a polícia, seria um adolescente de 16 anos. Eles foram encaminhados para averiguação na 14ª DP (Leblon).

Divulgação Bope-RJ
Motos apreendidas seriam usadas por traficantes para fugir da Rocinha

Favela receberá 19ª UPP

A Secretaria Estadual de Segurança Pública do Rio deu início neste sábado à ocupação da favela da Rocinha , território que era controlado pelo traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, preso na noite de quarta-feira (9). A comunidade será ocupada pela polícia e depois receberá a 19ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), o que ainda não tem data.

Nem assumiu o controle do tráfico na Rocinha em 2005 após a morte do então líder Erismar Rodrigues Moreira, o Bem-Te-Vi em um confronto com a polícia. Durante os primeiros anos, dividiu o comando da comunidade com o traficante João Rafael Silva, o Joca. Este, no entanto, deixou a favela e acabou preso no Nordeste em 2007.

Em agosto deste ano, Nem foi condenado pela 33ª Vara Criminal da Capital do Tribunal de Justiça do Rio a oito anos e quatro meses de prisão pelo crime de associação para o tráfico de drogas.

O processo que resultou na condenação de Nem se baseou em um inquérito aberto pela Polícia Civil em 2006 e que resultou em denúncia contra 14 suspeitos de integrar o tráfico na Rocinha.

Invasão a hotel

No ano passado, um bonde de traficantes que escoltava Nem que deixava uma festa no morro do Vidigal bateu de frente com PMs. Houve intenso tiroteio. Na fuga, os bandidos invadiram o Hotel Intercontinental e fizeram funcionários e hóspedes como reféns.

    Leia tudo sobre: rocinhavidigalnemoperaçãopolícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG