Para subsecretário de Transportes, Sebastião Rodrigues, só perícia pode dizer se falta da peça contribuiu para queda do veículo

Arame no lugar de um parafuso
Divulgação
Arame no lugar de um parafuso
O bondinho que descarrilou e tombou em Santa Teresa neste sábado, matando cinco pessoas e ferindo 57, tinha um pedaço de arame no lugar de parafuso debaixo da sapata do freio. Era, aparentemente, uma improvisação da equipe de manutenção da Central, empresa que administra o sistema de transporte sobre trilhos no bairro.

O deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ) mostrou a repórteres no local do acidente o “gatilho.

“Isso é um grande indício de irresponsabilidade por parte da Central, empresa do governo do Estado que administra os bondes de Santa Teresa. Vou cobrar, acompanhar e responsabilizar criminalmente os responsáveis por esta tragédia”, afirmou o deputado.

Bondinho que se acidentou Santa Teresa estava superlotado, de acordo com as primeiras conclusões das investigações
Arte iG
Bondinho que se acidentou Santa Teresa estava superlotado, de acordo com as primeiras conclusões das investigações

O subsecretário de Transportes do Estado e presidente da Central, Sebastião Rodrigues, minimizou o comentário do Molon. “Somente a pericia pode informar se a falta do parafuso contribuiu para o acidente.”

Segundo Rodrigues, a manutenção dos bondes é feita semanalmente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.