Avó foge de casa para buscar neta, vítima de atirador

Maria Madalena foi proibida pelos parentes de deixar sua casa, mas, emocionada, voltou à escola dizendo que ia buscar Ana Carolina

Luísa Girão e Priscilla Bessa, iG Rio de Janeiro |

Hélio Motta
Maria Madalena, avó de Ana Carolina, vítima do atirador, voltou ao local da tragédia
Maria Madalena, de 73 anos, é avó de Ana Carolina Pacheco da Silva, de 13, vítima do atirador que fez 12 vítimas na quinta-feira, na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Zona Oeste do Rio. Muito abalada, Madalena foi proibida pelos familiares de deixar a sua casa, nas proximidades do colégio, mas não atendeu à "ordem" dos parentes, e fugiu. Foi até a escola, visivelmente transtornada, ora falava como se Ana Carolina estivesse viva, e segundos depois demonstrava entender que isso não era verdade.

"Vim buscar a minha netinha", disse Madalena ao chegar. Logo depois, falou: "Vim dar adeus à minha netinha", mostrando que compreendia o que havia acontecido.

Aparentando estar desorientada, Maria Madalena chegou a se sentir mal. Sentou no meio-fio, tremendo, e tomou o seu remédio para controlar a pressão. Um policial, observando a cena, passou a amparar a senhora e caminhar com ela em direção à sua casa. Passando em frente aos vasos de flores deixados na calçada onde fica o muro da escola, Madalena passou a acenar para o vaso com o nome de Ana Carolina: "Tchau, minha netinha, tchau", repetia a senhora, muito emocionada.

    Leia tudo sobre: Massacrevítimasescolatiroteio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG