Maria Madalena foi proibida pelos parentes de deixar sua casa, mas, emocionada, voltou à escola dizendo que ia buscar Ana Carolina

Maria Madalena, avó de Ana Carolina, vítima do atirador, voltou ao local da tragédia
Hélio Motta
Maria Madalena, avó de Ana Carolina, vítima do atirador, voltou ao local da tragédia
Maria Madalena, de 73 anos, é avó de Ana Carolina Pacheco da Silva, de 13, vítima do atirador que fez 12 vítimas na quinta-feira, na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Zona Oeste do Rio. Muito abalada, Madalena foi proibida pelos familiares de deixar a sua casa, nas proximidades do colégio, mas não atendeu à "ordem" dos parentes, e fugiu. Foi até a escola, visivelmente transtornada, ora falava como se Ana Carolina estivesse viva, e segundos depois demonstrava entender que isso não era verdade.

"Vim buscar a minha netinha", disse Madalena ao chegar. Logo depois, falou: "Vim dar adeus à minha netinha", mostrando que compreendia o que havia acontecido.

Aparentando estar desorientada, Maria Madalena chegou a se sentir mal. Sentou no meio-fio, tremendo, e tomou o seu remédio para controlar a pressão. Um policial, observando a cena, passou a amparar a senhora e caminhar com ela em direção à sua casa. Passando em frente aos vasos de flores deixados na calçada onde fica o muro da escola, Madalena passou a acenar para o vaso com o nome de Ana Carolina: "Tchau, minha netinha, tchau", repetia a senhora, muito emocionada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.