Assalto a prédio na Tijuca: criminoso era foragido do sistema penitenciário

Polícia identificou mais um ladrão que promoveu arrastão em condomínio localizado próximo a UPP no Rio

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

No dia seguinte ao arrastão que levou pânico a moradores do prédio 141 da Rua Dezoito de Outubro , na Tijuca, zona norte do Rio, a polícia identificou mais um dos criminosos: Robson Gomes Barbosa, de 28 anos. Considerado foragido do sistema penitenciário desde março, quando fugiu no primeiro dia em que ingressou no regime semi-aberto, o criminoso é do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, também na zona norte, assim como os outros integrantes da quadrilha. Neste domingo, Robson e Maximilliam Fabrício da Silva, de 22 anos, invadiram o condomínio na Tijuca ao lado de outros dois comparsas. Somente Maximilliam, que é da favela do Jacaré, foi preso até agora. Robson e outros dois ladrões conseguiram fugir.

Divulgação/ Polícia Civil
Robson Gomes Barbosa é figitivo do sistema penitenciário e já foi preso por homicídio, roubo e uso de documentos falsos

O iG mostrou neste domingo (15) imagens exclusivas de Maximilliam dentro do edifício, de onde escapou pela porta da frente e sob os olhos da polícia. Ele foi preso após uma perseguição marcada por troca de tiros e revolta de moradores que tentaram linchá-lo.

A polícia afirma que Robson foi identificado através das digitais que os peritos do Instituto de Identificação Félix Pacheco (IFP) colheram no local do assalto. O delegado responsável pela investigação, Nilton Fabiano Lessa, afirmou nesta segunda-feira que os outros dois integrantes da quadrilha serão identificados a qualquer momento.

Segundo a polícia, Robson e Maximilliam possuem longa ficha criminal. Robson cumpria pena por porte ilegal de arma e receptação no presídio Edgar Costa, em Niterói. Ela também já foi condenado por homicídio, roubo e por usar documentos falsos. Maximilliam também possui passagens pela polícia: foi preso quatro vezes por roubo.

Mesmo sob forte cerco, bandidos fugiram

O assalto ao prédio 141 da Rua Dezoito de Outubro começou na manhã deste domingo, quando um morador foi rendido na Lagoa, na zona sul, onde tinha ido praticar exercícios. Sob a mira dos ladrões , todos armados de pistola, a vítima foi obrigada a voltar para casa e permitir a entrada do bando.
Os moradores foram feitos reféns, levados para a cobertura e lá, amordaçados. Duas mulheres com bebês de colo estavam entre as vítimas.

Enquanto uma parte do bando mantinha os moradores imobilizados , a outra fazia arrastões nos apartamentos. Pelo menos quatro imóveis foram revirados nas duas horas em que os bandidos permaneceram no prédio.

O porteiro do prédio conseguiu escapar e avisou policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Morro da Formiga, localizada bem próximo ao edifício. Os bandidos se preparavam para fugir quando a polícia chegou. Houve uma intensa troca de tiros e um sargento foi atingido por quatro disparos. Ele foi operado e passa bem, de acordo com o Hospital Central da Polícia Militar.

Apesar do certo, feito inclusive com o apoio de helicópteros da polícia, Robson e outros dois comparsas conseguiram fugir. Roubaram quatro carros no caminho e ainda renderam um motorista, que foi obrigado a seguir com os bandidos até Benfica. Para os investigadores, o fato de o bando ter feito o motorista refém indica que a quadrilha não conhecia a Tijuca.

null

    Leia tudo sobre: assaltotijucaprédioupp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG