Após massacre, sindicato dos educadores fará paralisação

Em comunicado, entidade diz que carência de segurança era conhecida e que vai tentar responsabilizar judicialmente governantes

iG São Paulo |

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) do Rio de Janeiro convocou escolas municipais da cidade para uma paralisação extraordinária nesta sexta com ato público na Cinelândia, às 10h. O objetivo, segundo comunicado, é demonstrar a indignação dos profissionais de educação contra "mais esse ato de violência em escolas, representada por essa tragédia em Realengo". Um homem invadiu uma escola, matou 11 crianças , feriu 13 e se matou.

O sindicato pede que as demais redes públicas e particulares de educação se unam ao protesto. "Há uma carência na rede de milhares de profissionais especializados na segurança dos alunos, como porteiros e inspetores nas escolas públicas. Os governos não fazem concursos para cobrir esta carência. A falta de segurança nas escolas municipais e estaduais do Rio vem sendo denunciada pelo Sepe há anos, mas, infelizmente, os governos se recusam a discutir com a categoria o assunto. Dessa forma, o Sepe exige que o prefeito Paes e o governador, os respectivos secretários de educação do estado e município do Rio, e as autoridades de segurança de nosso estado discutam com os profissionais de educação como enfrentar esse grave problema", diz a carta de apelo.

O sindicato diz ainda que o departamento jurídico estuda entrar na Justiça contra as autoridades municipais responsabilizando-as pelo massacre.

    Leia tudo sobre: massacre em escola no riosepesindicatoparalisação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG