Ao menos 13 continuam internados após colisão entre trem e ônibus

Vigilante que ajudou no socorro às vítimas disse que situação no local do acidente era crítica

Bruna Fantti e Daniel Gonçalves, especial para o iG |

Pelo menos 12, das 20 vítimas do acidente entre um trem e um ônibus, continuam internadas no Hospital Geral de Nova Iguaçu (Hospital da Posse), na Baixada Fluminense. Ontem (12), uma composição da empresa MRS Logística bateu em um coletivo. Um dos feridos foi encaminhado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (Hospital de Saracuruna) em situação crítica. De acordo com a unidade de saúde, o paciente, identificado como João Paulo Belarmino Silva, de 23 anos, permanece em estado regular, com várias fraturas e sem previsão de alta. Segundo os bombeiros, o acidente aconteceu por volta das 19h, no cruzamento da linha férrea com a Estrada Luís de Lemos, no bairro Miguel Couto. Com o impacto da batida, o ônibus da Viação Tinguá (Miguel Couto-Central) tombou.

Procurada pelo iG , a MRS Logística informou que o trem envolvido no acidente havia saído de Minas Gerais e seguia em direção ao porto do Rio de Janeiro. A composição possui 26 vagões e carregava cimento e materiais siderúrgicos. Somente o maquinista estava no trem e ele não sofreu escoriações.

A empresa alegou que a possibilidade do trem de carga não ter respeitado a sinalização é praticamente nula. Segundo a companhia, as indicações existentes em cruzamentos de linhas férreas servem para os demais veículos que transitam pelo local. De acordo com a MRS, em movimento, dependendo do trem, o veículo necessita de 500 a mil metros para parar. A Viação Tinguá ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

O vigilante Francisco Soares, que trabalha no Hospital da Posse, ajudou a socorrer as vítimas. Soares disse ao iG que estava trabalhando na unidade de saúde na hora do acidente, mas foi ao local para ajudar no socorro às vítimas. “Foi complicado. O hospital todo se mobilizou. Os cirurgiões e os ortopedistas todos desceram. Foi uma coisa terrível”. O vigilante afirmou que conseguiu tirar cinco pessoas do coletivo. “Tinha algumas que não estavam sentindo as pernas, outras não estavam sentindo os braços. Mas com cuidado deu para tirar cinco”.

    Leia tudo sobre: tremcolisãoacidenteônibus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG