Acusado de estuprar e matar menina é encontrado morto no Rio

Marceneiro disse na última quarta-feira que tinha ¿vontade de morrer¿

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

O marceneiro Jonas Marcolino da Silva, acusado de ter estuprado e assassinado a menina Camila Evangelista da Conceição, de 9 anos, foi encontrado morto na manhã deste sábado (6) na Penitenciária Ary Franco, no bairro de Água Santa, zona norte do Rio. Ele dividia a cela com outros presos, mas, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária, a suspeita é de que Jonas tenha se suicidado, visto que não há marcas de agressões no corpo.

AE
Jonas da Silva confessou o crime à polícia
O marceneiro foi encontrado enforcado junto a um lençol. Policiais civis da Divisão de Homicídios foram ao presídio para investigar a ocorrência. O corpo de Jonas será encaminhado para o Instituto Médico Legal para que sejam confirmadas as causas da morte.

Declaração

Na última quarta-feira, ao ser apresentado na Divisão de Homicídios, o marceneiro declarou que estava arrependido . “Fiz uma maldade. Agora só sinto vontade de morrer”, disse, na ocasião.

Segundo policiais civis, Jonas confessou o crime e disse que estava sob o efeito de crack e de bebidas alcoólicas no momento em que abordou a criança.

Ele, no entanto, relatou que lembrava ter oferecido a quantia de R$ 20 para convencer a menina a ir até a sua casa, localizada na mesma rua onde ela morava. Ele afirmou que matou a criança quando ela gritou por socorro.

Em um vídeo, disponibilizado pela polícia, o marceneiro aparece segurando um isopor e despejando o conteúdo , supostamente o corpo da vítima, em uma lixeira.

null Crime

Camila Evangelista da Conceição, de 9 anos, foi encontrada morta na manhã da última segunda-feira (1), nua, jogada em um amontoado de lixo na Ladeira Madre de Deus, que dá acesso ao Morro da Providência, no centro do Rio. Ela estava com um corte profundo na garganta.

Camila foi vista pela última vez por volta das 21 horas de domingo, deixando de bicicleta uma festa de aniversário que acontecia próximo ao Morro da Providência. Ela estava acompanhada dos pais e de um irmão mais velho.

O marceneiro foi preso na terça-feira (2), em uma rua próxima à Central do Brasil, também no centro do Rio. Os agentes chegaram até ele através de denúncias feitas por moradores da região. Os policiais estiveram na casa do suspeito e encontraram um isopor sujo de sangue onde ele teria transportado o corpo da menina.

    Leia tudo sobre: estuproagressãoviolênciamenor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG