Acessos à Rocinha serão interditados às 2h30 da madrugada

A movimentação de moradores é normal na manhã deste sábado; polícia está presente nas principais entradas da favela

iG Rio de Janeiro |

Agência Estado
Rotina segue normal na favela, apesar do clima de apreensão. Bares funcionaram durante a madrugada e o comércio abriu na manhã de sábado
A Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro divulgou parte do esquema montado para dar suporte à Operação Choque de Paz, que marca o início da ocupação nas favelas da Rocinha, do Vidigal e Chácara do Céu, na zona sul da capital. Somente a Polícia Militar empregará cerca 1.500 homens. Agentes do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) vão entrar por vários acessos das favelas.

A partir das 2h30 da madrugada, a PM fechará as principais entradas das comunidades para dar início à ocupação. Serão fechadas a Estrada Lagoa-Barra (nos dois sentidos); a Av. Niemeyer; a Estrada do Joá; a Rua Marquês de São Vicente e a Estrada das Canoas. Helicópteros com sensores noturnos e  blindados da Marinha (de acordo com as primeiras informações, serão 18 veículos) serão usados como apoio. Policiais  do Batalhão Florestal farão varreduras na mata para eveitar que traficantes tentem fugir pela Floresta da Tijuca.

Leia também: Polícia prende Nem, o traficante mais procurado do Rio de Janeiro

Por enquanto, a polícia mantém bloqueios nos acessos às favelas. Helicópteros da polícia sobrevoam a região. A movimentação dos moradores é normal .

Agência Estado
Policiais revistam motos e até ônibus

O texto da secretaria informa que os batalhões de Operações Policiais Especiais (Bope) e de Choque (BPChoque) da Polícia Militar – com apoio de unidades da Polícia Civil, de helicópteros das duas corporações, veículos blindados dos Fuzileiros Navais, além de agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e efetivos da Polícia Federal – começarão a operação nas primeiras horas deste domingo (13)”.

Veja também: Saiba quem são os membros da quadrilha de Nem que estão foragidos

Caso haja resistência dos criminosos que ainda estão nas favelas e seja necessário o confronto, o governo estadual preparou um esquema especial de atendimento a possíveis feridos. O Corpo de Bombeiros montará um hospital de campanha com seis leitos na quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos da Rocinha. Os bombeiros terão também três ambulâncias avançadas, que ficarão em frente à quadra, somando um efetivo total de 15 homens à disposição da Operação Choque de Paz.

Agência O Globo
Polícia está na Rocinha desde as primeiras horas deste sábado; movimentação dos moradores é normal

UPP não tem data

Levantamento da secretaria de segurança com base no censo do IBGE de 2010 contabiliza 207.779 mil moradores dessas favelas e de seus entornos. Somente na Rocinha e no Vidigal são registrados 72.458 pessoas.

Ainda de acordo com o comunicado, após a ocupação será instalada uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) nas comunidades, “em data a ser definida”. "O efetivo e o número de bases operacionais da nova UPP serão definidos após reconhecimento do terreno pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP)”, informa a Secretaria de Segurança Pública.

PF irá bloquear as principais saídas do Rio

Aa nota oficial ressalta que a ocupação foi precedida de “diversas ações das forças policiais em várias comunidades desde o início do mês de novembro. Essas ações tiveram vários objetivos: anular potenciais pontos de refúgio para os traficantes da Rocinha e do Vidigal; debilitar o poderio defensivo e econômico da facção criminosa; garantir o máximo de eficácia com o mínimo de riscos na Operação Choque de Paz, tanto para as forças da Lei quanto para as comunidades sob ocupação de facções criminosas”.

A Polícia Rodoviária Federal fará bloqueios nas principais saídas do Rio. A Polícia Federal participa da ação com o apoio do setor de inteligência da corporação.

    Leia tudo sobre: rocinhavidigalnemoperaçãopolícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG