Avó de estudante esfaqueado: 'Agora ele vai ter que usar um celular baratinho'

Por O Dia - | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Jovem passou por cirurgia de quase cinco horas; crime aconteceu durante asslato dentro de trem da Supervia, no Rio

O Dia

Avó e tio do estudante esfaqueado no trem durante um assalto: 'Pedro é tranquilo', diz ela
Carlos Moraes/Agencia O Dia
Avó e tio do estudante esfaqueado no trem durante um assalto: 'Pedro é tranquilo', diz ela

"Agora ele vai ter que usar um celular baratinho". O relato é de Vera Brito, 68 anos, avó do estudante Pedro Arthur Santa Cruz, 18, que foi esfaqueado, no sábado (30), durante um assalto em um trem da SuperVia, em Quintino, Zona Norte da cidade.

Segundo ela, o aluno do 2º ano do Colégio Pedro II já havia sido assaltado uma vez "quase na porta" da unidade, em São Cristóvão. "Levaram o celular dele. O Pedro é um menino estudioso e tranquilo. Vou falar com ele para não usar mais celular na rua, mas a violência no Rio é grande e isso não deve adiantar de muita coisa", avaliou a avó de Pedro.

Leia mais notícias no portal O Dia

O garoto, que vive com ela em Marechal Hermes, também na Zona Norte, foi atacado quando seguia para a escola. Pedro ouvia música em seu celular quando foi abordado por dois assaltantes dentro do vagão. Ao reagir ao assalto, foi atingido três vezes por um dos assaltantes com uma faca. Foram dois golpes, dois no ombro e um no braço esquerdo. "Foram quase cinco horas de cirurgia", revelou Vera Brito.

Leia também:

- Vídeo mostra suspeito de esfaquear estudante fugindo após o crime; assista

- Jovem de 18 anos é esfaqueado dentro de trem no Rio

Um dos médicos que atendeu o rapaz no Hospital Municipal Lourenjo Jorge, no Méier, disse ao DIA , que "em mais alguns minutos, se não fosse atendido, ele poderia ter morrido, pois estava sangrando muito". A facada que atingiu o braço do rapaz acabou acertando seu bíceps, um nervo e uma veia. Ele não corre o risco de perder o movimento do braço, mas, segundo o médico, ficará um tempo sem sensibilidade em três dedos da mão esquerda.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o jovem, que passou por uma cirurgia, tem quadro de saúde considerado estável. O jovem, que não quer falar com a imprensa, deve ter alta entre esta segunda (1º) e a próxima quarta-feira (3).

"Nós que somos pais ficamos preocupados. Fica até difícil deixar nossso filhos saírem sozinhos de casa, depois de um acontecimento desses", disse a mãe de um amigo de Pedro, Isabel Meireles.

Leia tudo sobre: violênciario de janeiro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas