Polícia Militar do Rio vai ampliar patrulhamento com bicicleta

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Debate ocorre um dia depois da Alerj aprovar, em primeira votação, projeto de lei que cria a tipificação do crime de roubo

Agência Brasil

O Rio de Janeiro vai ganhar mais 500 bicicletas para o patrulhamento da Polícia Militar (PM).

O anúncio foi feito pelo chefe de Planejamento da PM, major Alexandre Leite, que participou nesta quarta-feira (27) da audiência pública na Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), que discutiu a violência contra ciclistas. O debate ocorre um dia depois da Alerj aprovar, em primeira votação, o projeto de lei que cria a tipificação do crime de roubo de bicicleta.

Ciclistas pedalam nus por segurança no trânsito em São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressCiclistas pedalam nus por segurança no trânsito em São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressCiclistas pedalam nus por segurança no trânsito em São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressCiclistas pedalam nus por segurança no trânsito em São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressCiclistas pedalam nus por segurança no trânsito em São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressCiclistas pintam corpo antes de começar a pedalada. Foto: Gabriela Bilo/Futura Press

Assista: Ciclista flagra roubo da própria bicicleta no Aterro do Flamengo

De acordo com o major, o policiamento com o uso de bicicleta é feito desde 2012. “Temos algumas turmas já formadas, alguns policiais já estão em atuação, principalmente no Batalhão de Turismo, e há um projeto de ampliação desse trabalho com a aquisição de mais 500 bicicletas. As áreas serão definidas pelo planejamento estratégico da PM”.

De acordo com a Polícia Militar, o ciclopatrulhamento é empregado para “reforçar pontos com grande movimento de pedestres”, como as orlas de Copacabana, Leblon e Ipanema, o Aterro do Flamengo, o entorno do Cristo Redentor, a Lagoa Rodrigo de Freitas e o centro da cidade.

O presidente da Comissão de Segurança no Ciclismo da Cidade do Rio, Raphael Pazos, aprova a iniciativa. “Apenas um policial em cima de uma bicicleta consegue pegar um ladrão roubando uma bicicleta”, disse. “Porque na hora de fugir, carro não pega, moto não pega, cavalo não pega. Só pega um ladrão em cima de uma bicicleta se tiver um policial em cima de uma bicicleta”, acrescentou.

Leia tudo sobre: rio de janeirorjpm

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas