Defensoria vai buscar indenizações para vítimas de acidente de trens no Rio

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Na noite desta segunda-feira (5), uma batida envolvendo dois trens na estação Presidente Juscelino Kubitschek, em Mesquita, na Baixada Fluminense deixou 229 pessoas feridas

Agência Brasil

O Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon) da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro abriu nesta terça-feira (6) apuração sobre o acidente entre dois trens da SuperVia na noite desta segunda-feira (5) na Estação Presidente Juscelino, em Mesquita, na Baixada Fluminense. A Nudecon pretende cadastrar os acidentados para buscar indenizações às vítimas. Só no Hospital Geral de Nova Iguaçu foram atendidos mais de 158 feridos, sete continuam internados. Hospitais e unidades de saúde estaduais atenderam 71 pessoas, todas já liberadas.

O Nudecon também quer negociar soluções extrajudiciais para evitar que os passageiros tenham que recorrer à Justiça, em um processo demorado. "Se a gente conseguir chegar a um denominador comum com a SuperVia, não vai ser necessário ajuizamento e anos de trâmite processual. A gente consegue resolver o que poderia durar anos em um espaço bem menor", disse a coordenadora do Nudecon, a defensora Patrícia Cardoso.

Colisão de trens no Rio de Janeiro
Foto de leitor via WhatsApp do Dia (98762-8248)
Colisão de trens no Rio de Janeiro

De acordo com nota divulgada pelo órgão, o defensor público-geral, André Castro, solicitou uma reunião ainda hoje com a Secretaria Estadual de Transporte, a SuperVia e a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp).

Esta tarde, Patrícia Cardoso visitou o Hospital Geral de Nova Iguaçu, conhecido como Hospital da Posse, para onde foi levada a maior parte das vítimas. O objetivo foi conversar com a direção da unidade e com pessoas ainda hospitalizadas.

A defensoria também vai encaminhar um ofício ao Corpo de Bombeiros e a todos os hospitais públicos que receberam feridos para cadastrar as vítimas. De acordo com o órgão, elas devem guardar qualquer comprovação que ateste a ligação com o choque de trens, como, por exemplo, receitas médicas. Serão cadastradas, ainda, pessoas que tiveram pertences roubados no local logo após a colisão, mediante apresentação do boletim de ocorrência. As vítimass já podem entrar em contato com a Tutela Coeltiva do Nudecon no telefone: 2868-2100, Ramal 297.

O acidente ocorreu na noite de ontem em Mesquita, na Baixada Fluminense e só o Hospital Geral de Nova Iguaçu recebeu mais de 150 feridos, e sete continuam internados. Hospitais e unidades de saúde estaduais atenderam 71 pessoas, que já foram liberadas.

Leia tudo sobre: acidentetrensrio de janeiro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas