Justiça ordena reintegração de prédios tomados por traficantes

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Juiz determinou, com ajuda de força policial, a retirada e identificação dos invasores do Residencial Guadalupe

Agência Brasil

A Justiça determinou a imediata reintegração de posse de um conjunto habitacional do Programa Minha Casa, Minha Vida invadido na noite de domingo, com ajuda de traficantes armados. A medida liminar foi deferida hoje (13) pelo juiz da 1ª Vara Cível da Regional Pavuna, Paulo José Cabana de Queiroz Andrade, atendendo a pedido da construtora BR4 Empreendimentos e Participações Ltda, responsável pela obra.

Em sua decisão, o magistrado determinou, com ajuda de força policial, a retirada e identificação dos invasores do conjunto Residencial Guadalupe, com 11 prédios e 240 apartamentos. Os imóveis estão praticamente prontos, aguardando apenas a documentação final, e deverão ser entregues aos sorteados dentro de 60 dias.

No mesmo documento, o juiz determinou notificações por ofício ao Samu e ao Corpo de Bombeiros, requisitando a colocação de ambulâncias em apoio à operação. O Conselho Tutelar foi notificado para acompanhar a diligência e acolher crianças desacompanhadas dos pais, e a Secretaria de Assistência Social do Município, para encaminhamento de idosos em situação de risco.

O conjunto residencial fica na favela Gogó da Ema, na área do Morro do Chapadão, considerada a região mais perigosa da cidade, para onde se refugiaram muitos criminosos expulsos do Complexo do Alemão, favela retomada de criminosos em operações de pacificação.

Leia tudo sobre: residencialguadaluperiorio de janeiroocupação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas