Juiz determinou, com ajuda de força policial, a retirada e identificação dos invasores do Residencial Guadalupe

Agência Brasil

A Justiça determinou a imediata reintegração de posse de um conjunto habitacional do Programa Minha Casa, Minha Vida invadido na noite de domingo, com ajuda de traficantes armados. A medida liminar foi deferida hoje (13) pelo juiz da 1ª Vara Cível da Regional Pavuna, Paulo José Cabana de Queiroz Andrade, atendendo a pedido da construtora BR4 Empreendimentos e Participações Ltda, responsável pela obra.

Em sua decisão, o magistrado determinou, com ajuda de força policial, a retirada e identificação dos invasores do conjunto Residencial Guadalupe, com 11 prédios e 240 apartamentos. Os imóveis estão praticamente prontos, aguardando apenas a documentação final, e deverão ser entregues aos sorteados dentro de 60 dias.

No mesmo documento, o juiz determinou notificações por ofício ao Samu e ao Corpo de Bombeiros, requisitando a colocação de ambulâncias em apoio à operação. O Conselho Tutelar foi notificado para acompanhar a diligência e acolher crianças desacompanhadas dos pais, e a Secretaria de Assistência Social do Município, para encaminhamento de idosos em situação de risco.

O conjunto residencial fica na favela Gogó da Ema, na área do Morro do Chapadão, considerada a região mais perigosa da cidade, para onde se refugiaram muitos criminosos expulsos do Complexo do Alemão, favela retomada de criminosos em operações de pacificação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.