Segundo a Polícia Civil, a organização praticava aborto em locais sem condições de higiene e salubridade, por R$ 7.500

Agência Brasil

A Polícia Civil prendeu 42 pessoas acusadas de envolvimento com clínicas ilegais de aborto no estado do Rio de Janeiro, em operação deflagrada hoje (14). Mais cinco mandados de prisão foram expedidos em nome de pessoas que já estavam detidas. No total, a 4ª Vara Criminal da Capital decretou a prisão preventiva de 75 pessoas, inclusive de policiais civis, militares e médicos.

De acordo com a Corregedoria Interna da Polícia Civil, a organização criminosa atua há vários anos e praticava aborto em locais sem condições de higiene e salubridade, cobrando até R$ 7.500 por procedimento. Um dos acusados de chefiar o esquema é o médico Aloísio Soares Guimarães, já preso.

Além dos 75 mandados de prisão, estão sendo cumpridos 118 mandados de busca e apreensão, como medicamentos e documentos dos acusados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.