Disque-Denúncia oferece recompensa que leve à prisão de acusados de aborto

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Suspeitos do aborto que resultou na morte da auxiliar administrativa Jandyra dos Santos Cruz permanecem foragidos

Agência Brasil

Jadir Messias da Silva e Débora Dias Ferreira, suspeitos de participar da prática de aborto que resultou na morte da auxiliar administrativa Jandyra Magdalena dos Santos Cruz, de 27 anos, em Campo Grande, na zona oeste fluminense, permanecem foragidos. O Portal dos Procurados do Disque-Denúncia lançou hoje (8) recompensa de R$1 mil por informações que levem à captura da dupla. Desde o dia 27 de setembro, a central também recebe denúncias do paradeiro do falso médico Carlos Augusto Graça de Oliveira, suspeito de realizar o procedimento.

O mandado de prisão em nome de Jadir e Débora foi expedido pela 4ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias. Eles vão responder pelos crimes de homicídio qualificado, quadrilha ou bando, aborto provocado por terceiro, aborto provocado com o consentimento da gestante.

Nessa terça-feira (7), o desembargador Luiz Zveiter, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou o pedido dehabeas corpus a favor de Mônica Gomes Teixeira e Marcelo Eduardo de Medeiros, presos pela suposta prática dos crimes de aborto, homicídio qualificado, quadrilha e ocultação de cadáver.

Jandyra Magdalena dos Santos Cruz saiu de casa no dia 26 de agosto e foi morta durante o procedimento numa clínica clandestina em Campo Grande na zona oeste do Rio. O corpo foi encontrado carbonizado, em Guaratiba, no dia seguinte e, identificado somente por meio de exame de DNA.

Qualquer informação que leve à prisão dos suspeitos pode ser enviada por mensagem de texto, vídeo ou fotos para o aplicativo Whatsapp do Portal dos Procurados (21) 96802-1650, por meio da central Disque-Denúncia (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177 para a região metropolitana. O anonimato é garantido. A Coordenação do Portal dos Procurados reitera o alerta à população para não investigar por conta própria, apenas relatar à polícia quaisquer suspeitas.

Leia tudo sobre: disque-denúnciarecompensaabortoacusados

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas