Desfile de 7 de Setembro reúne cerca de 3 mil militares no Rio de Janeiro

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Cerimônia deve durar 3 horas e contará ainda com 500 civis e 500 estudantes; famílias se reuniram para acompanhar evento

Agência Brasil

O desfile pelo Dia da Independência reuniu 4 mil pessoas na Avenida Presidente Vargas, centro da capital fluminense, neste domingo (7).

Hoje: Sem vaias, Dilma abre desfile pelos 192 anos da Independência do Brasil

Futura Press
Início do desfile Cívico-Militar de 7 de Setembro. Cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e o DF realizam a homenagem

Ontem: Dilma sinaliza aumento da gasolina, mas garante que não haverá 'tarifaço'

A parada de 7 de setembro deve durar 3 horas. Aproximadamente 3 mil militares das Forças Armadas e forças auxiliares participam do evento, que contará ainda com 500 civis e 500 estudantes. O desfile teve início as 8h30.

O evento contará com representações da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Rodoviária Federal, Guarda Municipal, de ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB), escolas militares, além de entidades civis. Haverá desfile de carros de combate, viaturas militares, motocicletas e tropas com cavalo.

Este ano, o Fogo Simbólico da Pátria será conduzido pela 3º sargento temporária do Exército Bárbara da Silva Leôncio que estará acompanhada de uma representação de atletas, como a sargento Bárbara é campeã mundial de atletismo nos 220 metros (m), categoria menor (15 a 17 anos), tetracampeã sul-americana dos 100m e 200m, categoria menor e juvenil (18 e 19 anos), vice-campeã mundial estudantil nos 100m, na Grécia em 2006, entre outros títulos.

A Marinha fará o tradicional desfile naval com participação de navios de guerra e aeronaves na orla do Rio de Janeiro. O Exército distribuiu bandeirinhas do Brasil para todas as pessoas que lotam as cinco arquibancadas montadas na Avenida Presidente Vargas.

Presidenciável: Marina Silva critica Dilma Rousseff por problemas no setor elétrico

Futura Press
Militares durante desfile Cívico-Militar de 7 de Setembro na Avenida Presidente Vargas, Rio de Janeiro

O técnico de eletricidade Marcos César Teixeira da Silva, 37 anos, trouxe o filho Júlio César, 5 anos, para assistir pela o desfile pela primeira vez.

"É bom despertar essa consciência cívica na criança que serve para incentivá-la pelo gosto pela vida militar que eu sempre quis para mim", disse.

O menino ficou entusiamado com os cavalos do Regimento da Polícia Montada da Polícia Militar e dos carros de combate do Exército Brasileiro e até ensaiou um desfile, com os braços balançando e a marcação com os pés.

Quem já está acostumado a desfilar no 7 de setembro são os meninos Artur Henrique, 12 anos, e Luan Almeida, 13. Os dois já desfilam há 4 anos junto com os integrantes da Força Expedicionária Brasileira (FEB), incentivados pelos avôs, Antonio Lima, 64 anos, e Ney da Silva Lopes, 66, que todos os anos participam do desfile da Pátria.

Os dois jovens desfilam com uniforme camuflado do Exército e dizem que até já ficaram conhecidos com fotos na internet e entrevistas para os jornais. Artur Henrique estuda na Escola Bélgica, em Guadalupe, e Luan, no Colégio João XXIII, em Deodoro. Artur disse que adora desfilar desde que o avô comprou o uniforme militar e o levou para desfilar, aos 8 anos.

"É muito bom desfilar e eu nem me canso", disse. Já Luan disse que o avô e o primo que também desfilava quando era menor o incentivaram. "Eu vi as fotos dele desfilando, tive vontade e vim."

Já o alinhador de automóveis Renato Correia, 28 anos, trouxe o filho Vitor, 2 anos, para assistir o desfile, junto com o sobrinho Vitor, 10 anos. Renato disse que não acredita que ocorram os incidentes do ano passado quando ativistas invadiram a pista do desfile.

"Eu creio que a gente esteja mais seguro hoje. Com certeza por tudo que aconteceu no ano passado e na Copa do Mundo, com um efetivo bem maior de policiais no entorno do desfile", avaliou.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas