Polícia faz cerco para localizar esconderijo de criminosos no Complexo do Alemão

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Um helicóptero e agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) participam da operação nas favelas

Agência Brasil

Cerca de 500 policiais militares fazem, desde as 4h30 de hoje (16), uma grande operação de cerco e varredura em todas as comunidades integrantes do Complexo do Alemão, subúrbio do Rio de Janeiro. De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), a operação deve seguir até o fim da manhã. Desde o início da implantação da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do complexo quatro policiais militares morreram em confrontos com criminosos.

jose lucena/Futura Press
Pelo menos 500 policiais militares participam da megaoperação no Complexo do Alemão, no Rio


Um helicóptero auxilia os agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Ações com Cães (BAC), Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e do Grupamento Aeromóvel (GAM), além do efetivo de diversas unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) que participam da operação nas favelas do Alemão.

A finalidade é localizar os esconderijos dos criminosos que continuam ocupando as comunidades do Alemão e enfrentado os policiais da UPP.

Inaugurada dia 30 de maio de 2012, a Unidade de Polícia Pacificadora do Alemão foi a quarta unidade instalada no Complexo. Ela atende à comunidade do Alemão, com mais de 15 mil moradores, se estendendo até a Pedra do Sapo, que sempre foi considerada ponto crítico pelo comércio intensivo de drogas. A UPP Alemão fica situada próxima aos bairros de Olaria, Higienópolis e Ramos.

A retomada do Complexo do Alemão pelas forças de segurança aconteceu no fim de novembro de 2010 e representa um marco para a segurança pública do Estado do Rio de Janeiro. Esta foi a maior ofensiva contra o tráfico de drogas e contou com uma tropa de 2,7 mil homens, sendo 1,2 mil policiais militares, 400 policiais civis, 300 policiais federais e 800 militares do Exército. As imagens de ocupação do Alemão foram registradas pelas câmeras de TV quando dezenas de traficantes armados deixaram a comunidade a pé e de carro abandonando a comunidadee às pressas.

Leia tudo sobre: rio de janeirocomplexo do alemãooperação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas