Cristo Redentor é iluminado de lilás em combate à violência contra a mulher

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Mudança na luz do monumento marca o início dos "16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres"

Agência Brasil

Alessandro Buzas/Futura Press
Iluminação especial do monumento é uma iniciativa da Arquidiocese do Rio de Janeiro

O Cristo Redentor está sendo iluminado de lilás, desde 19h desta segunda-feira (25), para marcar o início dos "16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres" e o lançamento da campanha "Em violência contra a mulher, eu meto a colher!".

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia mais: Dilma diz que sociedade brasileira é "sexista e preconceituosa"

"Leis não são aplicadas adequadamente", diz senadora

A iluminação especial do monumento é uma iniciativa da Arquidiocese do Rio de Janeiro e faz parte das ações da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres, da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro.

Dentro dos 16 dias de ativismo, evento internacional que ocorre anualmente em 159 países, foi feito no último sábado um mutirão de serviços sociais no Parque de Madureira, zona norte do Rio.

Em São Paulo, cerca de 100 mulheres participaram nesta segunda-feira da 4ª Caminhada do Dia Internacional de Não Violência contra a Mulher. Carregando faixas e cartazes contra a violência, as participantes procuraram alertar para a necessidade de denunciar as agressões contra a mulher.

Em sua conta no Twitter, a presidenta Dilma Rousseff disse hoje, no Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, que primar pela segurança feminina é condição para uma nação mais justa, cidadã e igualitária.

“Aviolência contra a mulher envergonha a sociedade que, infelizmente, ainda é sexista e preconceituosa. É uma forma de preconceito do 'mais forte' contra a mulher, apenas pelo fato de ser mulher”.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas