O maior tumulto ocorreu pela manhã quando um grupo de mascarados invadiu parte da avenida onde ocorriam os desfiles cívicos; 27 pessoas foram presas

Os manifestantes que tentaram chegar ao Palácio Guanabara, sede do governo do Rio de Janeiro, foram dispersados pela Polícia Militar com o uso de bombas de gás lacrimogêneo. Com a ação policial, no início da noite, as pessoas recuaram para as ruas internas do bairro de Laranjeiras. No caminho, os manifestantes quebraram as vidraças de duas agências bancárias, diversos pontos de ônibus e a estrutura em vidro do elevador para deficientes da Estação do Largo do Machado, do metrô.

Veja imagens dos protestos no Rio

Pelo País: Vandalismo e violência marcam 7 de Setembro

Montes de lixo foram incendiados no meio da Rua das Laranjeiras e o fogo só foi controlado com a chegada de uma equipe do Corpo de Bombeiros. Para dispersar os manifestantes que ainda insistiam em permanecer no Largo do Machado - praça entre os bairros de Laranjeiras e do Catete -, policiais do Batalhão de Choque lançaram mais bombas. Por causa do vento, a fumaça das bombas se espalhou por boa parte do bairro atingindo moradores e pessoas que passavam pelo local. O gás causou forte ardência nos olhos e irritação na garganta.


Pela manhã, o maior tumulto ocorreu quando um grupo de manifestantes mascarados invadiu uma das faixas da avenida Presidente Vargas, onde ocorriam os desfiles cívicos. A polícia retirou os manifestantes. Houve corre-corre e confusão, e famílias e crianças saíram correndo do local desesperadas.

Depois dos protestos durante o desfile, parte do grupo se reuniu em frente à Câmara Municipal, na Cinelândia, e então seguiu a pé por 2,5 quilômetros até o Largo do Machado, em Laranjeiras.

A secretaria estadual de Segurança informou que até as 17h deste sábado 27 pessoas foram conduzidas para delegacias. Delas, uma foi presa por "porte de arma" e 15 foram autuadas e liberadas. De acordo com a secretaria, entre os autuados está um homem "com três passagens pela polícia".

As pessoas foram autuadas pelos crimes de "lesão corporal, desacato, resistência e posse de material de explosivo". "Com os detidos, foram apreendidos um estilingue, um spray de gás lacrimogêneo, pedras, canivetes, bolas de gude, bombas artesanais e toucas", informou a secretaria.

Com Agência Estado e Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.