DNA comprova que sangue em carro da UPP da Rocinha não é de Amarildo

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Pedreiro está sumido desde o dia 14 de julho, quando foi conduzido na sua casa para a sede da UPP

Agência Brasil

O Instituto de Pesquisa e Perícias em Genética Forense da Academia de Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que o sangue encontrado na viatura da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, zona sul do Rio, não é do ajudante de pedreiro Amarildo Dias de Souza. O resultado do exame foi divulgado na noite da última quarta-feira (31). O morador da comunidade carioca está sumido desde o dia 14 de julho, quando foi conduzido da sua casa para a sede da UPP.

Leia também:Policiais suspeitos de sumir com morador da Rocinha são afastados

Divulgação
Policiais militares na inauguração da UPP da Rocinha

A Polícia Civil informou em nota que na manhã de ontem, dois filhos do pedreiro coletaram amostra de material genético para confrontar com o DNA do sangue detectado no carro com o uso de luminol. O resultado deu negativo. A investigação continua em andamento com a Delegacia de Homicídios”.

Às 14h de hoje (1) o promotor de justiça Homero Neves; o delegado titular da Delegacia de Homicídios (DH), Rivaldo Barbosa; a esposa de Amarildo, Elizabete Gomes; e o subprocurador-geral de Justiça de Direitos Humanos e Terceiro Setor, Ertulei Laureano, farão uma reunião na sede do Ministério Público Estadual.

Leia tudo sobre: upp rocinhario de janeirobrasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas