Sol apareceu neste domingo e desviou a atenção de alguns fiéis que aproveitam para mergulhar e brincar na água

A celebração da Missa do Envio, último compromisso público do papa no Brasil, reuniu mais de 3 milhões de fiéis na praia de Copacabana. Entre os religiosos, muitos estavam ali para ouvir as palavras de Francisco já outros queriam aproveitar o calor e curtir as últimas horas na capital carioca. Esse foi o caso da brasiliense Ana Beatriz Brito, de 15 anos, que conhecia a praia pela primeira vez.

Saiba tudo sobre a Jornada Mundial da Juventude
Cracóvia será sede da próxima JMJ, anuncia papa Francisco em Copacabana
Artigo: Fazer de Francisco um inimigo é inútil ao movimento gay

Freiras e peregrinos brincam na praia de Copacabana durante a Missa do Envio, no Rio
AP
Freiras e peregrinos brincam na praia de Copacabana durante a Missa do Envio, no Rio

O som ambiente da orla de Copacabana foi tomado pelos ritos iniciais da Missa do Envio. Mas isso não atrapalhou Ana Beatriz, que tinha seu corpo parcialmente enterrado na areia quando foi encontrada pela reportagem do iG. “É minha primeira JMJ, mas também é a primeira vez que venho em toda a minha vida. Estou adorando”. Para ela, a experiência em mergulhar no mar de Copacabana superou a expectativa de ouvir a homilia do papa. “Já mergulhei várias vezes e quero muito voltar para cá”.

Veja fotos do clima em Copacabana neste domingo:

A brasiliense não foi a única a deixar o papa Francisco de lado. Alguns banhistas, inclusive um com a camisa da Jornada Mundial da Juventude, aproveitaram para jogar futebol em um espaço bem limitado. Rodrigo Passiedo, de 17 anos, é morador de Copacabana e buscava uma oportunidade para surfar. “É, surfar ao som do papa Francisco é bem diferente”, disse.

A lotação dos fiéis em Copacabana foi uma boa oportunidade comércio para os ambulantes. Muitos desfilavam entre a multidão oferecendo seus produtos como: biquínis, empadas, refrigerantes, mate e limonada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.